Hermes de Luna » Blog Archive » Deputado defende revogação do Estatuto do Desarmamento. “Só cidadão de bem morre”
logo
Paraíba, 25.06.2017

Deputado defende revogação do Estatuto do Desarmamento. “Só cidadão de bem morre”

| sem comentários

O deputado estadual Cabo Sérgio Rafael (PSL) defendeu a revogação do Estatuto do Desarmamento. Para ele, se o cidadão puder andar armado os níveis de violência cairão, porque o bandido ficará com medo de ataca-lo. Na avaliação do deputado, para as zonas rurais, o proprietário poderia ter direito a ter em casa “uma boa espingarda 12”. Na zona urbana, seria permitido o uso de revólver, calibre 38, ou pistolas.

Em entrevista ao programa ’27 Segundos’, da RCTV (canal por assinatura do Sistema Correio, Cabo Sérgio disse que é contrário à instituição da pena de morte no Brasil, mas defendeu a prisão perpétua para crimes de corrupção, como os dos envolvidos na operação Lava Jato.

No entendimento do deputado, o Estatuto de Desarmamento está ultrapassado e só ajuda na atuação dos bandidos. “Não podemos dizer que um cara que invade a casa de um cidadão de bem, pra matar, pra roubar ou pra estuprar, tem que ser tratado com carinho. Temos que proteger primeiro a vida, a família e a nossa propriedade”, argumentou.

Ele lamentou a fragilidade da legislação penal e comparou com a realidade do presídios. “Nos presídios existe um estado paralelo da criminalidade. Se alguém deixar um objeto em algum lugar ninguém rouba. Se roubar morre. Eles fazem suas próprias leis”, disse.

Para o deputado, com  o armamento “nós teríamos menos cidadãos mortos”. Cabo Sérgio entende que o cidadão que quiser portar arma tem que ter um treinamento da Polícia Federal, passar por testes psicológico, com acompanhamento, e o porte só seria concedido apenas para que tem bons antecedentes. “Tem que passar por todos os testes, da mesma forma que um agente de vigilância passa”, disse.

Assista abaixo um trecho da entrevista do deputado estadual Sérgio Rafael, no 27 Segundos.

‘]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *