ALPB debate políticas públicas para juventude

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) realizou uma audiência pública em alusão ao Dia Internacional da Juventude, comemorado nesta quarta-feira (12). Na ocasião, foram debatidos os problemas enfrentados pelos jovens e discutidas as soluções através políticas públicas.

O evento contou com a presença da deputada Estela Bezerra, autora da propositura, além do secretário de Esporte e Juventude do Estado, Tibério Limeira; a secretária Executiva da Juventude, Priscilla Gomes; a coordenadora de Juventude e Esporte de João Pessoa, assim como representantes do Tribunal de Justiça, do Conselho Estadual de Juventude, organizações não governamentais que atuam com jovens, entidades estudantis e representantes do poder público que atuam com jovens de adolescentes.

Para a deputada Estela Bezerra, a juventude representa atualmente cerca de 49 milhões de brasileiros. Além do viés da quantidade, os jovens são importantes pela perspectiva de futuro. “Eles que vão ocupar os cargos e dirigir esse país. Por isso devem ter oportunidades no presente. Vivemos um momento em que se discute redução de maioridade penal e que a taxa de homicídios de jovens é enorme. Se a gente não preserva nossa juventude, a perspectiva de futuro fica ínfima”, ressaltou.

A parlamentar falou ainda sobre a importância de trazer esse diálogo para a Casa de Epitácio Pessoa. "Estamos fazendo dessa Casa o eco dessa discussão e reunindo juventudes de vários segmentos. Contamos com a presença de pessoas com deficiência, população indígena, pessoas que atuam na área rural e nos movimentos urbanos de cultura. É dessa diversidade aliada à capacidade de diálogo dessa Casa que a gente entende que sairá daqui com mais força para implantar políticas públicas para os jovens", comentou.

Durante a Audiência, ainda ocorreu uma apresentação de um grupo de dança e uma palestra com a representante do Fórum Nacional de Juventude Negra, Priscila Estevão, que falou sobre direitos da Juventude. Para Priscila, a juventude é uma fase de transição. "Convivemos cotidianamente com a violência. Somos expulsos da zona rural por falta de perspectiva. Sofremos racismo, preconceito e passamos por conflitos. A juventude então pode ser dividida em duas partes: os que têm a oportunidade de aproveitar a juventude e os que têm que desde cedo lutar para sobreviver", pontuou.

A palestrante disse ainda que é na juventude que as pessoas tomam consciência de lutar pelos seus direitos. "Um primeiro passo para os direitos da juventude foi dado com o Estatuto da Criança e do Adolescente, mas somente em 2003 começaram os primeiros passos para implantação de políticas públicas para a juventude. A partir daí, muita coisa foi feita, houve avanços, mas ainda percebemos que ainda há muito para se fazer. Muitos desafios para serem enfrentados", salientou.

Já o secretário Tibério Limeira, falou sobre a importância de discutir o tema na Assembleia Legislativa e fez um balanço das ações do Governo em benefício da juventude como escolas técnicas, jogos escolares, Conferência Estadual de Juventude, além da criação de uma linha crédito dentro do Empreender Paraíba para os jovens, dentre outras ações.