‘Ambulanciaterapia’: mais de 35,5% das consultas no HULW são de pacientes do interior

Um levantamento feito pelo Hospital Universitário comprova que a "ambulanciaterapia" continua a todo vapor na Paraíba. Mesmo em casos que podiam ser atendidos, de forma simples, em suas cidades de origem, pacientes vêm a João Pessoa e procuram, entre outros, o HULW. Chama atenção o número de encaminhamento feitos pelas próprias secretarias municipais de saúde, o que mostra como elas se livram dos pacientes.

Os números sobre as consultas marcadas por municípios da Paraíba também dão uma ideia de como funciona a chamada "ambulanciateparia". Em 2016, o Hospital Universitário realizou 96 mil e 372 consultas em pacientes de João Pessoa (64.4%). Outros 35,54% das consultas são de outros municípios. Pacientes que foram encaminhados para o HULW na Capital.

E os que mais chegaram para ser consultados foram os da Região Metropolitana de João Pessoa, como Santa Rita (4,77%) e Bayeux (2,92%). Em seguida vem Sapé, como 1,72%. O grande problemas é que não há o repasse de um centavo para a unidade hospitalar da Capital por esses procedimentos.

Em 2017, os números seguem a mesma tendência. Entre janeiro e abril deste ano, as consultas mais procuradas foram de endocrinologia e metabologia (4 mil e 731), dermatologia (3 mil e 254) e imunologia (3 mil e 110). Ao todo, já foram 44 mil e 180. Desse total, foram anotados 27 mil e 899 retornos. Dos encaminhamentos, 6 mil e 485 pacientes foram realizar consultas no HULW por indicação das secretarias municipais de saúde. O restante (9 mil e 796) foram de consultas expontâneas.

Das consultas marcadas em 2016, 31,06% eram de outros estados. A Os pacientes paraibanos representaram 68,94% das consultas realizadas no ano passado no Hospital Universitário Lauro Wanderley.

Em seguida, vem Pernambuco com 0,11%. Em terceira posição veio São Paulo, com 0,06% das consultas no HULW.

A lista de atendimentos de pacientes de outros estados é extensa. tem do Ceará, do Distrito Federal, do Amazonas, de Minas Gerais e de Santa Catarina. Os médicos explicam que são consultas realizadas, geralmente, por pacientes desses estados que estão de passagem por João Pessoa ou dos que começaram a residir na Paraíba há pouco tempo.

No ano de 2016 foram 216 mil e 859 consultas no HULW. Da Paraíba foram 149 mil e 506 consultas realizadas. O levantamento é EBSERH.