Auxiliares de Governo motivados a cumprir metas

Os secretários e dirigentes de órgãos e estatais empossados nesta segunda-feira (5) pelo governador Ricardo Coutinho se mostraram motivados a cumprir o plano de racionalização, metas e gestão anunciado pelo chefe do Executivo durante a solenidade realizada na manhã desta segunda-feira (5), no Teatro Paulo Pontes do Espaço Cultural José Lins do Rego, em João Pessoa.

Em pronunciamento, o secretário da Infraestrutura, Recursos Hídricos, Meio-Ambiente e Ciência e Tecnologia, João Azevedo, destacou a importância do momento vivido por ele e pelos demais colegas. “Estamos tendo a oportunidade de, neste momento, nos tornarmos servidores públicos. A partir de agora, teremos de ser secretários 24 horas por dia, sete dias por semana. Não dá para ter folga”, afirmou, ressaltando que todos devem estar motivados na busca de alcançar as metas estabelecidas e traçar ações que busquem o desenvolvimento igualitário do estado.

A secretária da Saúde, Roberta Abath, disse que uma das metas é dar continuação às ações que foram implementadas nos últimos quatro anos. “Vamos priorizar as redes regionalizadas de atenção à saúde ainda mais, com equidade e a devida ética. Vamos concretizar ainda mais os princípios do Sistema Único de Saúde, que é a universalidade do atendimento à saúde, com integralidade”, afirmou.

Já o secretário da Educação, Aléssio Trindade, ressaltou que uma das prioridades da pasta é buscar a integração do Ensino Médio com a Educação Profissional. “Além de darmos continuação às ações bem-sucedidas que já vêm sendo feitas, vamos avançar na implantação de uma maior articulação do Ensino Médio com a Educação Profissional. Vamos implantar as escolas técnicas e promover ainda a articulação das Universidades Federais da Paraíba, da Universidade Estadual da Paraíba, com o nosso Ensino Médio”, disse.

Aléssio Trindade enalteceu a decisão do Governo do Estado ao criar a Secretaria Executiva de Gestão Pedagógica e a Secretaria Executiva de Logística e Suprimentos. “Creio que tenha sido uma estratégia muito feliz por parte do governador Ricardo Coutinho ao criar essas duas secretarias. Sem sombra de dúvidas, esse desmembramento vai permitir que avancemos ainda mais na agilidade que precisamos ter com a educação do estado, como a entrega de fardamento no tempo correto. É um salto de qualidade significativo”, pontuou.

O secretário da Agricultura Familiar, Lenildo Moraes, falou das expectativas à frente da pasta e enfatizou que um dos grandes desafios é desenvolver as potencialidades econômicas do semiárido paraibano. “O Governo da Paraíba inova mais uma vez ao criar uma secretaria de peso, uma secretaria que vai ter duas temáticas: a agricultura familiar e o semiárido. Vamos traçar uma estratégia acerca daquilo que nós já temos, buscar novas ações para colaborar com o desenvolvimento do estado com a agricultura familiar e incrementar as potencialidades do semiárido. Temos o grande desafio – que juntos vamos alcançar – de criar emprego e renda no semiárido paraibano. Temos de estruturar a agricultura familiar, um dos segmentos mais importantes da agricultura paraibana”, afirmou.

Por sua vez, o secretário do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca, Rômulo Montenegro, disse que um dos desafios da pasta é apresentar meios de amenizar a estiagem que a Paraíba vem enfrentando nos últimos três anos. “Esse fenômeno trouxe consequências gravíssimas para o setor da agropecuária paraibana. Com isso, o objetivo que temos de alcançar é buscar alternativas, como já fizemos com o programa de distribuição de ração, que deu resultados extremamente positivos. Vamos criar – pois é um novo governo – mas também vamos continuar com as ações que deram e que vêm dando certo”, adiantou.

Wagner Dorta, novo secretário da Administração Penitenciária, explicou que uma das metas que devem ser traçadas é a busca “incansável” da ressocialização dos detentos paraibanos. “Um dos grandes pilares da função da pena é justamente a ressocialização. Sendo assim, não poderíamos deixar essa meta fora da nossa administração que, agora, se inicia. Vamos perseguir o objetivo de entregar alguém que já cumpriu a sua pena pronto para viver em sociedade. Para isso, temos de humanizar ainda mais o nosso sistema. Vamos fazer um diagnóstico das 79 unidades prisionais do estado para traçarmos melhorias que visem atender esse objetivo”, finalizou.