Câmara de Bayeux cancela eleição indireta





A mesa diretora da Câmara de Bayeux decidiu, nesta terça-feira (28), acatar o pedido formulado por um grupo de vereadores para cancelar a eleição indireta para prefeito do município. O pedido apontava que a mudança na lei, prevendo a eleição indireta, não chegou a ser publicada.

Com isso, é possível que Jefferson Kita continue como prefeito interino da cidade até o dia 31 de dezembro deste ano.



O juiz da 3ª Vara de Bayeux e representante da 61a Zona Eleitoral, Euller Jansen, disse nesta terça-feira (28), que está ‘assombrado’ com a decisão da Câmara Municipal da cidade em optar por não cumprir a decisão judicial que determinou eleições indiretas em até 30 dias no município.

O magistrado participou de uma reunião com o presidente da Câmara, Inaldo Andrade, na última sexta-feira (24), em que o parlamentar se comprometeu em acatar a decisão da Justiça. Em mensagem à reportagem, Euller Jansen afirmou que o caminho natural seria a obediência à determinação proferida na última segunda-feira (20) pelo juiz Francisco Antunes, da 4ª Vara Mista de Bayeux. “Bayeux está, realmente, numa situação difícil, porque por um lado temos uma determinação judicial emanada do juízo da 4ª Vara Mista da comarca de Bayeux, que determina que a Câmara realize, sim, uma eleição indireta no prazo de até o dia 14 de agosto, ou seja, 30 dias após a vacância”, ressaltou.

O vereador de oposição, Adriano Martins, prometeu recorrer à Justiça para que a determinação do juiz Francisco Antunes, da 4ª Vara Mista de Bayeux, seja cumprida.***