Câmaras Cíveis e Criminal do TJPB têm novos presidentes

Os novos presidentes das Câmaras Cíveis e Criminal do Tribunal de Justiça da Paraíba foram escolhidos, por aclamação, durante o início das sessões na manhã desta terça-feira (22), exceto a Segunda Câmara Cível, que ficou para o dia 05 de fevereiro. 22




“Assumo o cargo e sei da grande responsabilidade de ser presidente desse Órgão Fracionário, que é primeira Câmara criada pelo Tribunal de Justiça do nosso Estado. Estou muito honrado e feliz. Quero dizer que darei continuidade ao belíssimo trabalho desenvolvido pelos meus antecessores, sempre com muito esforço e dedicação”, comentou José Ricardo Porto. Em 2018, a Primeira Câmara Cível julgou 5.071 recursos, na presidência do desembargador Leandro dos Santos.




Ao ocupar a cadeira de presidente da Terceira Câmara Cível do TJPB, no lugar do desembargador Marcos Cavalcanti de Albuquerque, Saulo Henriques de Sá e Benevides ressaltou a importância do trabalho de todos os colegas. “Quero agradecer a cada um dos membros deste Colegiado, por manter um ambiente tão saudável para trabalharmos e vencermos nossas metas. Da mesma forma, destacar o bom relacionamento com os representantes do Ministério Público e da Ordem dos Advogados do Brasil”, disse. No ano passado, a Terceira Câmara julgou 4.789 recursos.




Por sua vez, o desembargador Fred Coutinho, que sucede o desembargador Romero Marcelo da Fonseca Oliveira na Presidência da Quarta Câmara, fez um breve agradecimento. “É com grande honra e espírito de coletividade que recebo essa missão de presidir esta Câmara. Vamos continuar o trabalho voltado aos jurisdicionados”, afirmou o magistrado, lembrando que em 2018 foram 4.758 feitos apreciados por aquele Órgão Fracionário.




Criminal -  “Tenho plena consciência das minhas responsabilidades frente a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Paraíba, uma das mais equilibradas em acertos de julgamentos em todo o país. Agradeço a confiança dos colegas em depositar suas expectativas na minha forma de trabalhar e conduzir as sessões”, comentou o desembargador Ricardo Vital de Almeida, ao assumir a Presidência da Unidade  Criminal do TJPB, que foi responsável por julgar 4.751 processos em 2018.