Cândida Vargas completa 70 anos de assistência à saúde da mulher  

O Instituto Cândida Vargas (ICV) completa, em agosto, 70 anos de assistências à saúde. São diversos serviços ofertados para garantir um cuidado integral à mulher. São 1.275 profissionais trabalhando na instituição com o intuito de garantir o atendimento aos usuários que procuram à maternidade. Nesta sexta-feira (28), às 15h, os profissionais da instituição serão homenageados em Sessão Especial na Câmara Municipal de João Pessoa.

“A maternidade funciona como porta aberta. Todas as mulheres que chegam em situação de vulneralibilidade e emergência clínica são atendidas imediatamente. Há também os serviços ambulatoriais, assistência sociais, psicólogos, e demais profissionais envolvidos na assistência”, comentou Terezinha Lizieux, diretora multiprofissional do ICV.

“É um cuidado intuitivo e profissional que motiva e impulsiona todos os profissionais que atuam direta e indiretamente com a parte assistencial da instituição, temos a preocupação de garantir a qualidade no serviço e proporcionar um melhor cuidado”, completou.

Na unidade são ofertados diversos serviços, como Banco de Leite, ambulatório, laboratório, exames de ultrassonografia, atendimentos às vítimas de violência, serviço social, psicologia, planejamento familiar, pré-natal de alto risco, farmácia, cardiologia, pediatria, Rede Cegonha e demais serviços essenciais para a saúde da mulher.

A unidade realiza ainda atividades como o Método Canguru, teste do pezinho e da orelhinha, serviços de imunização e fisioterapia do parto. “A mãe que chega à unidade para ter seu filho recebe total assistência. Na maternidade são realizados os exames pré-natais e ainda são ofertadas todas as análises necessárias da mãe e do bebê após o parto. Daqui a criança já sai com as vacinas, exames e certidão de nascimento”, informou Terezinha Lizieux.

Fundada em agosto de 1945, pela Legião Brasileira de Assistência (LBA), a unidade hospitalar já foi administrada pelo Instituto Nacional de Assistência Médica e Previdência Social (INAMPS), Ministério da Saúde (MS) e municipalizada em dezembro de 1990. Com os investimentos, capacitação e responsabilidade municipal, a maternidade se tornou referencia em atendimento às mulheres em situação de violência sexual e doméstica, referência estadual para atenção ao Método Canguru e em gestação de alto risco.

“Trabalho há 30 anos na maternidade. Quem vê a maternidade por fora não consegue ver a dimensão do amor incondicional que existe aqui dentro. São profissionais, mães, acompanhantes e familiares que visitam as mamães e bebês que estão internados e que se dedicam integralmente a cuidar uns dos outros”, comentou a ginecologista e obstetra Ana de Lourdes Fernandes, que está como diretora geral da maternidade desde de fevereiro de 2009.  “Tentamos ainda manter uma capacitação e qualificação contínua. A garantia de um bom atendimento é manter os profissionais sempre atualizados”, completou.

Assistência hospitalar – O Ministério da Saúde (MS) lançou recentemente medidas para estimular o parto normal, mas a prática já é comum no Instituto Cândida Vargas (ICV), maternidade referência no Estado para partos de alto risco.

A média nacional de cirurgias cesarianas na rede pública é de 40%, já na rede privada esse número representa 84% do total de partos realizados. “o parto normal é o meio mais fisiológico que existe, sendo sempre o mais indicado e que proporciona mais benefícios para a mãe e o bebê quando há a possibilidade de optar por esse meio. A cesariana, quando não tem indicação médica, ocasiona riscos desnecessários à saúde da mulher e do bebê, aumenta em 120 vezes a probabilidade de problemas respiratórios para o recém-nascido além de triplicar o risco de morte da mãe,” explicou o diretor técnico da área de obstetrícia do ICV, Juarez Augusto.

No ICV, aproximadamente 60% dos atendimentos de urgência são realizados em pacientes residentes em João Pessoa, enquanto o restante são casos de urgência de pacientes de outros municípios e estados vizinhos. Já do total de mulheres internadas na maternidade, 52% são de outras cidades e estados.

Planejamento familiar – Além das especialidades médicas, no ICV, a população feminina pode usufruir, por meio do Instituto, do serviço de planejamento familiar. É uma atividade que busca auxiliar as mulheres quando o assunto é querer, ou não, engravidar.

A paciente tem acesso às informações sobre métodos contraceptivos disponibilizados pelo SUS, que podem ser via oral (pílulas e comprimidos), injetáveis, inserção do DIU (dispositivo intrauterino), diafragma e laqueadura de trompas.

ICV – Realizando cerca de 700 por mês, a maternidade do ICV funciona 24 horas por dia, durante todo o ano. O local dispõe de uma estrutura adequada para atender grávidas em toda a sua totalidade, incluindo três alojamentos para gestantes, UTIs maternas e Neonatais, Unidade de Cuidados Intermediários (UCI), enfermarias, salas de partos e bloco cirúrgico. O Instituto está localizado na Avenida Coremas, s/n, Jaguaribe.