Cássio condena ética seletiva

Nesta quinta, 10, o senador Cássio Cunha Lima foi um dos palestrantes convidados do Tribunal de Contas de São Paulo que realiza anualmente, um Ciclo de Debates em homenagem ao dia do Jurista que acontece neste dia 11 de agosto.

Na sua fala, o senador paraibano discorreu sobre o momento político pelo qual o país atravessa desde o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff até o pedido negado pela Câmara dos Deputados da investigação ao presidente Michel Temer.

Sobre o seu posicionamento acerca do pedido negado pela Câmara, o senador foi enfático ao defender que a Câmara autorizasse o Supremo Tribunal Federal a prosseguir com as investigações. “É preciso lembrar que a investigação seria feita pelo STF e não pelo Congresso”, lembrou Cássio.

Para o vice-presidente do Senado Federal, não se pode ter ética seletiva ao defender que numa República, todos estão abaixo da lei e não importa o cargo que ocupa ou que tenha ocupado.