Cássio confirma ação judicial contra Ricardo

Durante mais uma debate entre os concorrentes ao Governo do Estado, nesta terça-feira (15),  em Campina Grande, o senador Cássio Cunha Lima (PSDB), candidato da Coligação A Vontade do Povo, confirmou que está processando criminalmente o governador e candidato à reeleição Ricardo Coutinho (PSB), da Coligação A Força do Trabalho.

Cássio confirmou sua decisão de acionar na Justiça o adversário político por este tê-lo acusado, levianamente, de ter sido responsável pelo vazamento de um vídeo no qual fica patente atrito doméstico entre Ricardo e a primeira-dama, Pâmela Bório. Instado a apresentar provas, o governador se esquivou de mostrar qualquer indício de envolvimento do tucano.

O tom de indignação do senador e candidato a governador apenas reforçou o que ele dissera, no programa do guia eleitoral da televisão, nos horários da tarde e noite desta segunda-feira, 15. Em nota oficial neste domingo, a Coligação A Vontade do Povo também já tinha anunciado a decisão de se recorrer à Justiça pela atitude leviana.

Mantendo o foco no debate de idéias propriamente dito, Cássio Cunha Lima destacou em sua participação as propostas de seu novo governo para a área de Educação. Voltou a garantiu que uma de suas primeiras ações, caso eleito, será devolver aos professores da rede estadual a Gratificação de Estímulo à Docência (GED).

Educação

A bonificação foi retirada dos vencimentos do magistério pelo atual governo. Na resposta a um internauta sobre as propostas para o setor de educação, no primeiro bloco do debate, Cássio reiterou também que vai discutir com a categoria a revisão do PCCR (Plano de Cargos Carreira e Remuneração), implantado em 2003, quando governou a Paraíba pela primeira vez.

"Além disso, vamos estruturar as escolas para o ensino de tempo integral. A intenção é que além das disciplinas normais, os estudantes tenham acesso ao ensino técnico no segundo turno", projetou o candidato do PSDB.

Cássio ressaltou que durante seu governo, a Paraíba cumpriu as metas do IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) com dois anos de antecedência, diferente da atual gestão, que não atingiu as propostas do Ministério da Educação (MEC).

 UEPB

Sobre a Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), o tucano reafirmou a prioridade de devolver a autonomia plena à instituição.

Cássio lamentou ainda que a universidade perdeu 17 posições no ranking elaborado anualmente pelo jornal Folha de São Paulo, ficando na 23ª colocação entre 38 instituições de ensino superior do Nordeste.

"A UEPB avançou muito quando fui governador exatamente pela conquista da autonomia financeira e acadêmica. Mas infelizmente, e aí está o resultado, a universidade deixou de avançar porque o atual governo retirou essa autonomia", comentou o senador, reprovando mais uma vez a ausência no governador Ricardo Coutinho (PSB) no debate da UEPB, na semana passada.