Cássio destaca alto nível da campanha de Aécio

Foi mais que uma reunião da Executiva Nacional do PSDB. Foi um ato político das oposições para marcar a volta do líder que recebeu 51 milhões de votos. Nesta quarta-feira (05/11), o auditório Nereu Ramos, na Câmara dos Deputados, ficou pequeno para receber lideranças tucanas e partidos aliados e selar em torno da “mais vigorosa oposição que este Brasil já viu” – a constatação e o desafio foram lançados por Aécio Neves, candidato que recebeu 51 milhões de votos a presidente da República.

“Nós estamos, a partir de hoje, selando um pacto de construção de uma oposição revigorada, e por mais paradoxal que possa parecer, de uma oposição vitoriosa, porque disputamos essa eleição falando a verdade”, declarou o senador mineiro ao abrir o encontro.

VALE TUDO NÃO - Muito aplaudido, o senador Cássio Cunha Lima disse que “ganhar ou perder faz parte do processo. Mas as práticas que se reproduziram no Brasil inteiro, do vale tudo pela manutenção do poder, não pode receber o endosso daqueles que primam pela democracia e pela verdade”.

Cássio ironizou a infalibilidade das urnas eletrônicas: “Então, agora, os brasileiros têm direito à vida, à liberdade e a um sistema infalível de urnas eletrônicas.”?. Ele cutucou, também, a proposta petista de regulação das mídias, através dos tais conselhos populares, cuja proposta foi derrubada na Câmara semana passada e que, agora, será votada no Senado. “Nas democracias”, disse Cássio em referência ao projeto de viés centralizador e totalitário, “o povo escolhe o governo. O governo, do PT, quer escolher o povo”.

Aécio disse que "o diabo se envergonharia do que o PT fez nas eleições presidenciais deste ano”. E afirmou que “a oposição não se faz por um ou alguns cidadãos. A oposição que se faz hoje não precisa de um líder. Ela (a oposição) tem viva na alma e no sentimento de milhões a mais importante essência: a indignação com o que veio acontecendo ao longo dos últimos anos e também a esperança em relação àquilo que podemos mudar”, discursou.

Ao lado do filho Pedro, eleito deputado federal, Cássio resumiu a linha de atuação tucana: “Exerceremos o papel que a democracia nos reservou, qual seja, o de oposição. Mas oposição com responsabilidade, com ética e com espírito público”.