Começa ‘Outubro Rosa’, de prevenção do câncer de mama



Começa nesta quarta-feira (1º), às 9h, na Maternidade Frei Damião, no bairro de Cruz das Armas, em João Pessoa, a Campanha Outubro Rosa, que tem o objetivo de sensibilizar e alertar a população sobre a importância da detecção precoce do câncer de mama. O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), apoia a campanha que é promovida pela ONG Amigos do Peito.



Neste primeiro dia, intitulado “Ação Dia do Peito”, o Governo do Estado, a ONG Amigos do peito do Hospital Napoleão Laureano, a Rede Feminina de Combate ao Câncer e representantes de vários segmentos da sociedade unirão forças para dar acessibilidade às mulheres paraibanas, a partir dos 40 anos, a um atendimento especializado na área de mastologia, disponibilizando consultas, agendamento e, se possível, a realização da mamografia no próprio Laureano, e em casos específicos, dando continuidade às medidas necessárias para que as pacientes possam iniciar o tratamento adequado ao seu caso.



De acordo com a programação da abertura da campanha, a ONG realizará uma palestra sobre as formas de prevenção do câncer de mama e logo em seguida, será oferecido um café da manhã aos funcionários, pacientes e familiares.



A gerente do Núcleo de Saúde da Mulher, Cíntia Regina Silva, informou que a SES está mobilizando os municípios para realizar diversas atividades voltadas à população feminina. “Será realizado um evento no Centro Especializado em Diagnóstico do Câncer (CEDC). Fizemos uma mobilização em parceria com a Agevisa e, além disso, o governo estadual participará do Congresso Internacional de Saúde da Mulher, nos dias 16, 17 e 18 de outubro”, disse.



Números de câncer de mama 



O câncer de mama é o tipo que mais acomete as mulheres em todo o mundo, tanto em países desenvolvidos, como em desenvolvimento. Suas taxas de incidência variam entre as regiões, com as maiores taxas em 2012 na Europa Ocidental (96/100 mil) e as menores na África Central e na Ásia Oriental (27/100mil)



De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), são esperados no Brasil em 2014 57.120 casos novos, com risco estimado de 56,09 casos a cada 100 mil mulheres; enquanto que nas capitais do país, estima-se 19.170 casos novos com um risco estimado de 80,67.



Na Paraíba, são esperados 750 casos novos. O Estado apresenta uma taxa de 37,62 para cada 100 mil mulheres. Em João Pessoa, estima-se 260 casos novos, com um risco estimado de 66,48 em cada 100 mil mulheres.



Conforme a base de dados do Datasus/MS, no ano de 2013, 212 mulheres morreram na Paraíba vítimas de câncer de mama, e até agosto deste ano foram 130 óbitos.



Alguns fatores de risco para desenvolver o câncer de mama são bem conhecidos, como o envelhecimento, a vida reprodutiva da mulher, história familiar de câncer de mama, sedentarismo, entre outros.



Mamógrafos e capacitações



Buscando o diagnóstico precoce e a diminuição de casos da doença, o Governo do Estado aumentou o número de mamógrafos na rede SUS, que hoje conta com 28 em funcionamento nos municípios de João Pessoa, Campina Grande, Santa Rita, Guarabira, Monteiro, Patos, Itaporanga, Catolé do Rocha, Sousa, Princesa Izabel e Pombal.



A SES está interiorizando alguns serviços do câncer, como a Unidade de Oncologia de Patos (Unacon) que, após sua inauguração, terá uma ampliação já prevista para o Centro de Atenção em Alta Complexidade em Oncologia (Cacon), realizando não só quimioterapia como também radioterapia.



Segundo Cíntia Regina, em 2014 foram oferecidas aos profissionais da saúde capacitações sobre prevenção e detecção precoce de câncer de mama, onde foram priorizados eixos de prevenção e diagnóstico e organização da Rede de Atenção ao Câncer do Colo do Útero e da Mama. A capacitação, que ocorreu para mais de 700 profissionais de todas as macrorregionais do Estado, também teve o objetivo de formar agentes multiplicadores de práticas relacionadas ao rastreamento do câncer de mama e colo de útero.



Durante todo o ano foram desenvolvidas ações direcionadas para a melhoria dos Sistemas de Informação e Vigilância do Câncer, através da implantação do novo Sistema de Informação do Câncer (Siscan), como também a formação de gestores para o acompanhamento dos indicadores do câncer de mama e de colo do útero, monitoramento e avaliação dos indicadores. Essas informações são úteis aos municípios para tomarem conhecimento onde precisa de melhorias, além de aumentar o quantitativo de exames nas mulheres na faixa etária de 50 a 69 anos.



É importante lembrar que as ações de prevenção são realizadas pelos municípios, cabendo a SES apoiar, orientar e monitorar dentro do que já está preconizado”, concluiu Cíntia.



Outubro Rosa 



A campanha Outubro Rosa teve início na década de 90 nos Estados Unidos e ganhou repercussão e adesão em todo o mundo. O nome remete à cor do laço rosa que simboliza mundialmente a luta contra o câncer de mama. “A ação de iluminar com a cor rosa monumentos, prédios públicos, pontes e teatros surgiu posteriormente e hoje assumiu importante papel na campanha, pois se tornou uma leitura visual, compreendida em qualquer lugar no mundo”, explica Charlene de Oliveira Pereira, psicóloga sanitarista da SES.



Em 1997, entidades das cidades de Yuba e Lodi, nos Estados Unidos, começaram efetivamente a comemorar e fomentar ações voltadas à prevenção do câncer de mama, denominando essa mobilização como ‘Outubro Rosa’. Todas as ações são até hoje direcionadas à conscientização da prevenção pelo diagnóstico precoce.



Para sensibilizar a população inicialmente as cidades se enfeitavam com os laços rosa, principalmente nos locais públicos, depois surgiram outras ações como corridas, desfile de modas com sobreviventes de câncer de mama, partidas de boliche, dentre outros eventos.



No Brasil 



A primeira iniciativa no Brasil em relação ao ‘Outubro Rosa’ foi a iluminação em rosa do monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista (mais conhecido como o Obelisco do Ibirapuera), situado em São Paulo (SP), no dia 2 de outubro de 2002, quando foram comemorados os 70 anos do encerramento da revolução.



Centro Especializado no Diagnóstico do Câncer



No que se refere a serviços de diagnóstico na Rede de Oncologia, o CEDC é um serviço que merece destaque, sendo principal laboratório público do Estado de referência para a detecção precoce do câncer de colo de útero e mama, disponibilizando atendimentos e procedimentos médicos especializados.



Trata-se de um Complexo de Saúde, em que estão inseridos Laboratórios de Citopatologia; de Anatomia Patológica; Clínica Especializada e Serviço de Diagnóstico por Imagem (Ultrassonografia). Toda sua oferta de serviços é regulada pelo município de João Pessoa, com uma média de atendimentos/mês de 9.500 entre consultas, exames e procedimentos. Em 2013 foi inaugurada a nova sede que funciona na Avenida Duarte da Silveira, no centro de João Pessoa. O telefone é 3218-5369.



Programação do Outubro Rosa 



O propósito da campanha em todo o Estado é chamar a atenção para importância do cuidado com o corpo por parte das mulheres.



O CEDC promoverá um café da manhã no pátio externo do Centro, para sensibilizar as mulheres na importância da realização do exame clínico e mamografia. Neste período, o CEDC oferecerá na própria sede consultas com mastologistas por demanda espontânea.



A Agevisa promoverá no próximo dia 10, na praia de Tambaú, em frente à PBTur, de 8 às 14h, um momento de sensibilização e conscientização das mulheres no cuidado em realizar o exame clínico e mamografia.



Fica a cargo de cada município desenvolver suas atividades dentro da Campanha Outubro Rosa.