Concerto especial homenageia os 432 anos de JP

Um concerto especial reunindo 96 músicos da Orquestra Sinfônica da Paraíba e da Orquestra Sinfônica da Paraíba Jovem será realizado, neste sábado (5), em homenagem aos 432 anos de João Pessoa. O evento, que ocorrerá no Teatro Pedra do Reino, no Centro de Convenções da Capital, terá como convidadas as cantoras Cátia de França e Nathalia Bellar.

No repertório do oitavo concerto oficial da Orquestra Sinfônica da Paraíba, clássicos da música popular brasileira, a exemplo de Meu Sublime Torrão, de Genival Macêdo; À Primeira Vista, de Chico César; Admirável Gado Novo, de Zé Ramalho; e A Lua e Eu, de Cassiano.

O maestro Luiz Carlos Durier, regente, falou das expectativas para o concerto. “É um repertório que irá emocionar o público que comparecer ao Teatro Pedra do Reino, já que terá músicas muito representativas da nossa Capital, que chega aos 432 anos. Este ano, temos como convidadas Cátia de França e Nathalia Bellar, com músicas muito presentes na memória coletiva”, disse.

Com arranjo do maestro Duda, o concerto terá início com Meu Sublime Torrão, de autoria do paraibano Genival Macêdo. Em seguida, serão executadas À Primeira Vista, de Chico César; Admirável Gado Novo, de Zé Ramalho; e Chiclete com Banana, de Gordurinha e Almira Castilho.

Logo em seguida, com arranjo de Emanuel Barros, serão executadas Bolero de Bordel, de Milton Dornelas; Alegria de Farol, de Adeildo Vieira; e Nó Cego, composição de Pedro Osmar, no “Paraíba Poetics”.

Já a cantora Nathalia Bellar interpreta A Lua e Eu, composta por Cassiano, com arranjo de Emanuel Barros. “Após a Nathalia Bellar, grande revelação de nossa música, teremos a execução de músicas do Festival Sampa, que vai contemplar Chico Buarque, Edu Lobo e Caetano Veloso, com músicas que representam muito bem o período da Ditadura”, acrescentou Luiz Carlos Durier.

A penúltima apresentação da noite em homenagem aos 432 anos de João Pessoa ficará por conta da cantora Cátia de França, quando serão interpretados os sucessos Minha Vida é uma Rede, Panorama, Coito das Araras, Ponta do Seixas e Kukukaia. “Esse repertório da Cátia contempla clássicos que estão na memória dos paraibanos, proporcionando muita emoção”, explicou o maestro Luiz Carlos Durier.

Já a última apresentação da Orquestra Sinfônica da Paraíba e da Orquestra Sinfônica da Paraíba Jovem será o Bolero, composta por Maurice Ravel, segundo o maestro Luiz Carlos Durier. “É muito significativo o encerramento do concerto ter Maurice Ravel, já que essa música também é muito representativa da capital paraibana”, destacou.

Luiz Carlos Durier (regente) – Natural de João Pessoa, Durier é o regente titular da OSPB Jovem há 17 anos. Seu trabalho direcionado para jovens músicos em formação tem reconhecimento em todo o Brasil. As suas interpretações cativantes e criativas produzem sempre sucesso de público e crítica. Sob sua batuta, já se tornou tradição a Jovem apresentar estreias mundiais com excelente qualidade técnica e artística. Em setembro de 2013 foi nomeado diretor artístico e regente titular da OSPB.

Nathalia Bellar (cantora): Natural de João Pessoa, Nathalia Bellar mostra interesse pela música aos 15 anos, quando ganhou seu primeiro violão. Aos 19, entrou para o teatro, onde atuou por quatro anos e fez cursos na Funesc e na extensão da UFPB.

Depois da experiência como atriz, eis que a música torna-se seu principal ofício. A estreia como cantora aconteceu aos 23 anos, quando iniciou sua trajetória musical na noite. Entrou no vasto universo da MPB e começou a se destacar por sua capacidade interpretativa e por escolher canções sempre muito intensas. Fez participações importantes em shows de artistas de renome nacional, a exemplo de Daniela Mercury e Tunai.

Cátia de França (cantora): Nascida em João Pessoa, Cátia de França é cantora, compositora e multi-instrumentista. Em mais de 40 anos de carreira, Cátia gravou seis discos e se tornou uma lenda viva da música regional brasileira. Suas canções já foram gravadas por grandes nomes da MPB, como Elba Ramalho, Amelinha e Xangai, além de ter participado de festivais de música popular na década de 60, época em que viajou à Europa com um grupo folclórico.