Deputado elogia MPs por decisão sobre água pra CG

O deputado estadual Renato Gadelha (PSC) comemorou a medida conjunta dos Ministérios Públicos Federal e da Paraíba recomendando a suspensão da autorização de uso das águas de Boqueirão para irrigação bem como o fim do racionamento de água em Campina Grande.

Gadelha entende que a recomendação “objetiva garantir que Campina e mais 18 cidades não sejam ainda mais penalizadas com a falta d’água. Suspender o racionamento no atual cenário seria irresponsável e traria consequência terríveis para toda a região”, avaliou Renato. O deputado criticou a decisão do Governo do Estado de liberar a irrigação e de suspender o racionamento.

“Iniciou-se o racionamento porque Boqueirão chegou aos 23% da capacidade. Agora querem suspender este racionamento com menos de 10% do volume do açude Epitácio Pessoa”. Gadelha reforça que entende os transtornos de um racionamento longo como o que Campina enfrenta, mas reforça que “o racionamento só poderá ser finalizado com segurança hídrica”.

Boqueirão tem recebido menos água do que o previsto com a Transposição e alguns fatores têm contribuído para que a entrada de água no reservatório seja abaixo do programado. “A vazão do eixo leste está baixa porque Sobradinho encontra-se com cerca de 9% da capacidade. Além disso, temos barramentos no curso do Rio Paraíba o que tem feito diminuir, de forma considerável, a entrada de água em Boqueirão”, explica Renato.

Gadelha lembra que o Poder Público precisa fiscalizar, de forma efetiva, irregularidades como a construção de passagens molhadas no curso do Rio Paraíba. “Além disso, temos diversos relatos de retirada irregular de água. Entendo que antes de suspender o racionamento ou liberar a pouca água que temos para irrigação, o Governo do Estado deveria fazer o dever de casa e sanar estas irregularidades que vem acontecendo sem que o Estado tome uma providência”.