Em nove meses, MPPB ajuizou 113 ações por improbidade

De janeiro a setembro deste ano, o Ministério Público da Paraíba (MPPB) já registrou o ajuizamento de 113 ações civis públicas (ACPs) por atos de improbidade administrativa cometidos por gestores públicos municipais e estaduais. O último relatório do Caop do Patrimônio Público da instituição, relativo aos meses de julho, agosto e setembro, aponta um total de 43 ACPs promovidas por onze Promotorias de Justiça.

Dessas 43 ações, oito ocorreram na Promotoria de Justiça de Boqueirão, que abrange os municípios de Alcantil, Riacho de Santo Antônio, Caturité e Barra de Santana. Quatro ações foram ajuizadas pela Promotoria de Justiça de Sousa, que tem jurisdição nos municípios de São José da Lagoa Tapada, Nazarezinho, Santa Cruz, Lastro Marizópolis, Vieirópolis, Aparecida e as comunidades de São Pedro, São Francisco e Casinha do Homem.

A Promotoria de Justiça de Campina Grande, que também contempla os municípios de Lagoa seca, Massaranduba e Boa Vista, nos meses de julho, agosto e setembro registrou cinco ações de improbidade. Já na Promotoria de Justiça de São José de Piranhas, que congrega o município de Carrapateira, foram três ACPs. No município de Itaporanga, a Promotoria de Justiça, que abrange as cidades de Boa Ventura, Diamante, São José de Caiana, Curral Velho e Pedra Branca, além das localidades de Serra Grande e Vazante, foram 14 ações na área da improbidade administrativa.

As Promotorias de Justiça de Bonito de Santa Fé (com Monte Horebe), Gurinhém (com as localidades de Caldas Brandão e Cajá) e Santa Rita registraram nesses três meses duas ações de improbidade cada uma delas. E nas Promotorias de Justiça de Araruna, Cajazeiras e Teixeira foram apenas uma ACP em cada uma delas.