Enxugamento da máquina do Estado deixará de comprometer R$ 100 milhões com folha de pessoal

O governo do estado continuará fazendo a reforma administrativa. Enxugar a máquina significa reduzir o tamanho da folha de pagamento de pessoal. O secretário de Planejamento, Orçamento e Gestão, Waldson Souza, revelou que a previsão é de uma economia de R$ 100 milhões com despesas com pessoal, ao final de todo esse processo.

Ele lembrou que o governo já vem adotando algumas medidas de contenção de despesas, fusão, extinção e incorporação de alguns órgãos públicos, como Ideme e Empasa. "Nós temos uma previsão de redução, mas que ainda não está aferida, na ordem de R$ 100 milhões para comprometimento de folha de pessoal", disse.

Waldson argumentou que as funções essenciais desses órgãos estão sendo preservadas e o pessoal efetivo é relocado. "Todos os servidores do quadro, a partir do mês de março, tiveram que voltar às suas atividades de origem e os órgãos que quisessem tê-los teriam que assumir seus pagamentos", afirmou.

Ele disse que nesse governo foi o período em que mais se reduziu o número de prestadores serviços, mas houve um crescimento de aposentados e pensionistas, mas por outro lado registrou-se um aumento por conta dos concursos públicos realizados no atual governo.