Estado avalia restrição da retirada de água do Paraíba

O período de restrição para a retirada da água do rio Paraíba termina nesta quinta-feira (29), quando a redução no consumo será avaliada pelo Governo do Estado. Com o objetivo de garantir o abastecimento de nove municípios, a Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa) estabeleceu no último dia 19 que irrigantes, criadores de camarão e de peixe só poderão ligar as bombas de abastecimento nos dias e horários estabelecidos.

Diretores e técnicos da Aesa se reunirão às 10h desta quinta-feira, na sede do órgão gestor, em João Pessoa, para definir se serão necessárias novas restrições. “Com base no nível da barragem Argemiro Figueiredo e da vazão na água no rio Paraíba decidiremos o que deve ser feito para garantir o abastecimento da população. A cada dia que passa temos menos água, deste modo, o uso para irrigação deve ser cada vez menor. Nossa prioridade tem que ser o abastecimento humano e animal”, informou o presidente da Aesa, João Fernandes da Silva.

Popularmente conhecido como Acauã, o reservatório Argemiro Figueiredo tem apenas 15,2% do seu volume atual, o equivalente a 38.586.653 milhões de metros cúbicos. Ele abastece os municípios de Itabaiana, Pilar, Juripiranga, São José dos Ramos, Boqueirão de Gurinhém, Salgado de São Félix, Mogeiro, Aroeiras, Gado Bravo e o distrito Novo Pedro Velho.

Para garantir o abastecimento dessas cidades, a Aesa estabeleceu que no trecho entre Acauã e a barragem de nível de Salgado de São Félix a água só poderia ser retirada nos dias 19 e 26 deste mês. Já entre Salgado de São Félix e Itabaiana, os dias liberados foram 22 e 29 de outubro.