Extração de minérios da PB é destaque no México

O trabalho de pesquisa e extensão desenvolvido pelos professores e alunos do curso técnico em mineração da Escola Padre Jerônimo Lauwen, bem como a extração feita pelos garimpeiros do município de Santa Luzia, distante 260 km, tem sido destaque no congresso Shechtman International Symposium. Com o tema “Sustanaible Industrial Processing Summit & Exhibition”, o congresso acontece até esta sexta-feira (3), em Cancún, no México.

O evento é organizado por um comitê internacional que abrange empresas de vários países dos seis continentes: África, Ásia, Austrália, Europa, América do Norte e do Sul. O professor Francisco Souza participa do evento representando a Paraíba. Durante palestra, ele destacou a importância socioeconômica e industrial da atividade de prospecção na área, além de apresentar estratégias para a melhoria das condições gerais de trabalho em garimpo, como sustentabilidade, segurança, meio ambiente, saúde e qualidade de vida.

“É a Paraíba que está tendo seu trabalho valorizado e reconhecido no exterior. O trabalho apresentado pelo professor destaca o processo de extração e beneficiamento feito pelos garimpeiros da região dando ênfase e destaque os avanços no setor, bem como fortalece o nosso curso de mineração”, explicou um dos professores, Antônio de Pádua Sobrinho.

Frei Martinho, Picuí e Pedra Lavrada estão entre os municípios paraibanos cuja economia primária principal é a atividade mineral, tendo em vista que o clima semi-árido não favorece a agricultura local. Estas cidades estão localizadas na região central da Borborema, onde os corpos zoneadas pegmatíticos são intrusivas em mica-xisto da formação Seridó. Além de minerais industriais (quartzo, feldspato, muscovita), há também minerais raros (berilo, turmalina, água-marinha, tantalite) utilizados como gemas ou na indústria eletrônica.

Mineração - A mineração é feita por garimpeiros porque as pequenas dimensões de corpos de minério não permitem a instalação de médias e grandes empresas. Os pegmatitos geralmente ocorrem em altos estruturais, ou seja, sobre as dobradiças e flancos de anticlinais, facilitando a mineração a céu aberto para os minerais industriais e minerais raros associados.

Já a mineração subterrânea é feita como uma continuidade da mineração de superfície, onde as concentrações de minerais raros ocorrem em profundidades maiores do que as alcançadas pelos métodos rudimentares de desmontagem.

CDRM - O Governo da Paraíba também disponibiliza serviços técnicos dentro do Sistema Estadual de Geologia, Mineração e Recursos Hídricos Subterrâneos, por meio da Companhia de Desenvolvimento de Recursos Minerais da Paraíba (CDRM), que tem como diretor presidente, o engenheiro de Minas, Marcelo Sampaio Falcão.