Fachin manda afastar Aécio Neves do mandato de senador

Complicou para o senador Aécio Neves, presidente nacional do PSDB. O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou o afastamento imediato de Aécio do mandato de senador. Também foi afastado do mandato o deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR). O ministro determinou a prisão de uma irmã de Aécio, no Rio de Janeiro.

A Polícia Federal amanheceu nas ruas do Rio e de Brasília, fazendo operações que são desdobramentos da Lava Jato e foram deflagradas com antecipação, depois do vazamento das delações de Joesley Batista, dono do frigorífico JBS.

Ele teria dito que o presidente da República, Michel Temer, teria dado aval para a continuidade do pagamento de propina ao ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), preso pela Lava Jato. Teria também recebido um pedido de R$ 2 milhões para, supostamente, pagar despesas com o advogado para defesa do senador 'tucano' na Lava Jato.

No meio desse tiroteio contra PMDB e PSDB, surgiu novamente os nomes do ex-ministros da Fazenda, Guido Mantega e Antônio Palloci. Ainda vita o ex-presidente Lula, que teria reclamado do tamanho do caixa 2, porque o volume de quantias estava chamando atenção. A JBS foi a maior doadora da campanha petista em 2014.

A quinta-feira começa como terminou a quarta. Uma República perplexa, que deve aumentar ainda mais o clima de tensão conformem forem surgindo novos vazamentos das delações e novas operações da PF, com respaldo do STF.