Famílias assentadas realizam primeira colheita

As famílias do Assentamento Zumbi dos Palmares, na zona rural de Mari, estão em plena colheita da mandioca e macaxeira. Nessa safra serão colhidas 900 mil toneladas numa área de 600 hectares, graças a uma nova ferramenta de trabalho – um kit de mecanização agrícola com trator, implementos e plantadeira da cultura – adquirida com recursos do Projeto Cooperar, em convênio com o Banco Mundial, no valor de R$ 161,7 mil, que está beneficiando diretamente 84 famílias.



O agricultor e presidente da Cooperativa de Produção do Assentamento Zumbi dos Palmares, Washington Luiz Estevão disse que o projeto incentivado pelo Cooperar também gerou mais uma economia de 50% ao grupo que precisava desembolsar R$ 90,00 pela hora/máquina para fazer o cultivo das lavouras, e hoje gastam R$ 60,00 na manutenção da máquina e de um profissional contratado para operar o trator.



Com a produção garantida o ano inteiro, os agricultores assentados fecharam a venda da mandioca para o município de Feira Nova, no agreste pernambucano, que antes passava pelas mãos do atravessador. Já a macaxeira será vendida para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) do Governo Federal na região. “Com a ajuda que o Cooperar nos deu a produtividade por hectare passará de oito para 15 toneladas da cultura”, comemorou Washington.



Mais de 3.000 famílias assentadas por meio da Reforma Agrária em cerca de 70 assentamentos localizados em 40 municípios paraibanos foram beneficiadas pelo Governo do Estado, por meio do convênio Projeto Cooperar e Banco Mundial, com recursos no valor de R$ 7,8 milhões destinados a 68 projetos de inclusão social e produtiva, como a construção de cisternas de tela de alambrado, kits de mecanização agrícola, implantação de Abastecimento de Água Simples (ADS), entre outros.



De acordo com o gestor do Cooperar, Roberto Vital, o município de Mari se constitui num importante polo produtor de mandioca, sendo, portanto, de interesse do Cooperar apoiar demandas que fortaleçam a atividade, enquanto cadeia produtiva. “Por um lado são assegurados dois tratores equipados, por outro, com o apoio do BNDES, Fundo de Combate à Pobreza do Estado da Paraíba (Funcep) e Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca (Sedap) foram viabilizadas a construção e equipamento de uma unidade processadora de mandioca que produzirá fécula para as padarias e biodefensivos para a produção agroecológica”, informou.