Frei Anastácio pede apuração das mortes no Lar do Garoto

O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa da Paraíba, deputado Frei Anastácio, lamentou as mortes que aconteceram no Centro Socioeducativo Lar do Garoto, em Lagoa Seca, na madrugada de sábado, onde sete internos morreram e outros ficaram feridos.

“O Governo do estado precisa apurar o que motivou toda essa situação e adotar medidas para evitar que isso volte a acontecer. A Comissão de Direitos Humanos se solidariza com todas as famílias dos mortos, feridos e as demais que têm parentes naquela instituição”, disse o deputado.

Frei Anastácio destacou que a situação no Lar do Garoto, antes dessa rebelião era semelhante aos demais Centros Socioeducativos do país, com superlotação. “Na verdade, esses centros são verdadeiros “depósitos humanos” que não recuperam ninguém. O país tem que melhorar toda estrutura destinada, tanto para as crianças e adolescentes, quanto o sistema prisional para adultos, que também não ressoscializa ninguém”, afirmou.

O presidente da Comissão de Direitos Humanos disse ainda que esse sistema está ultrapassado, em todo o Brasil. “O governo gasta uma fortuna, com dinheiro do povo, nesses Centros e presídios, mas o que é desenvolvido nesses locais não tem efeito eficaz, parece mais um “inferno”, onde os condenados vão pagar pelo que fizeram. Quando saem, a grande maioria volta pior ainda para a sociedade e acaba retornando para a prisão, ou para os centros socioeducativos. É lamentável esperar acontecer fatos como esse do Lar do Garoto, para que providências sejam pensadas”, disse.