Frente Parlamentar da Água realiza audiência em Sousa

A Frente Parlamentar da Água da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) realizou neste sábado (21) audiência pública na cidade de Sousa, no auditório da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG). Também pela manhã, a comitiva de deputados estaduais visitou a tomada d'água do Canal da Redenção, que irriga o perímetro das Várzeas de Sousa.

Durante a audiência, o presidente da Frente Parlamentar da Água, deputado Jeová Campos, anunciou que a cidade de Sousa terá uma audiência pública, específica sobre a questão do perímetro irrigado São Gonçalo, pois a produção de coco praticamente não existe, o que abalou a economia local.

Jeová destacou que a questão prioritária ainda é a água para consumo humano e a união de forças nas três esferas de governo para buscar soluções na área hídrica. O deputado agradeceu a participação de todos os parlamentares presentes e do prefeito André Gadelha. O parlamentar comentou que “muitas das questões levantadas na audiência se portavam à Agência Nacional de Águas (ANA) e ao Ministério da Integração Nacional e que os dois órgãos enviarão técnicos a audiências que a Frente Parlamentar da Água realizará em João Pessoa nos dias 9 e 17, respectivamente”.

O deputado Jeová Campos reafirmou que papel da Frente é ouvir a população e levar as demandas ao Ministério da Integração Nacional e outros órgãos da esfera federal, além do governo estadual. “A Frente produzirá documentos, relatórios para serem encaminhados aos órgãos competentes”, frisou.

O secretário de Estado do Governo e deputado licenciado, Lindolfo Pires, também participou da reunião e destacou que o Estado entregou ao governo federal projetos de ações voltadas para incrementar a produção no Projeto de Irrigação das Várzeas de Sousa. “São investimentos que o governo do estado apresentou em projeto no Ministério da Integração no valor de R$ 60 milhões para esse perímetro”, disse. Pediu que a Frente contribuísse com o Governo do Estado no acompanhamento da tramitação dos projetos em Brasília.

Lindolfo Pires complementou que tratou ainda no Ministério da Integração sobre projetos que modificarão o sistema de irrigação no perímetro de São Gonçalo e a previsão é de investimentos na ordem de R$ 170 milhões.

O deputado Renato Gadelha foi quem presidiu os trabalhos da audiência em Sousa e fez um breve relato da situação hídrica na região, que, a exemplo de outras regiões, enfrenta problemas com a escassez de chuvas.

O ex-prefeito de cidade, Fábio Tyrone, esteve também presente à audiência. E ainda participou do evento o secretário legislativo da ALPB, Washington Aquino Rocha.

O deputado Frei Anastácio avaliou durante a audiência que a população do sertão não tem conhecimento da dimensão das obras da transposição de águas do São Francisco e revelou que o trabalho terá resultados em longo prazo e precisa ser mostrado aos paraibanos pela importância dos investimentos. “A Frente tem o papel de sair dos gabinetes e ir ao povo, ouvir propostas, sugestões, demandas”, pontuou.

Para o deputado Galego Sousa, “o trabalho desta Frente terá resultados, nós estamos fazendo a nossa parte e empenhados para a Paraíba possa ser melhor assistidas pelo governo federal”.

O deputado Janduhy Carneiro na audiência o índice de baixo volume d’água em vários açudes do estado. Ele afirmou que é preciso pedir por chuvas e que as autoridades deem celeridade às obras e ações hídricas da Paraíba. Destacou ainda que o Governo Federal deve garantir a participação do Exército nas obras da transposição de águas do São Francisco, com celeridade.

O engenheiro Rogério Paganelli, que atua no Projeto de Irrigação das Várzeas de Sousa, defendeu que a Frente Parlamentar da Água lute para indicar e colocar um técnico paraibano no Ministério da Integração Nacional para que a Paraíba tenha um representante que ajude na tramitação de demandas do estado. Atualmente, o perímetro utiliza apenas 30% da água que necessitaria para irrigar.

O prefeito de Sousa, André Gadelha, participou da audiência e opinou no sentido de que a preocupação urgente é saber como Sousa e região serão abastecidas no momento atual. Disse que em Sousa o abastecimento d’água é municipalizado, mas a demanda é maior do que a oferta e que acima das divergências políticas é preciso salvar Sousa porque o açude São Gonçalo só tem água por mais quarenta dias.

A próxima audiência pública da Frente Parlamentar acontecerá no dia 28 de março, na cidade de Pombal