Governador admite queda no repasse do duodécimo

Em entrevista ao Correio Debate, da  TV Correio, que o Estado tem tranqüilidade financeira em abril e maio, mas precisa de ajuda de recursos federais a partir de junho. Ele disse que concorda com projeto aprovado na Câmara Federal que recompõe as perdas do ICMS dos estados e do ISS para os municípios.

Ele lembrou que não se trata apenas do combate ao coronavírus e tem outras áreas que devem funcionar no Estado. O governador acha que essa compensação, por seis meses, salvaria a finanças estaduais.

João Azevedo observou que se houver uma quebra acentuada nas finanças pode haver uma redução no repasse do duodécimo, em comum acordo com os outros Poderes. Para ele, esse período de dificuldades deve durar três meses.  Assista no vídeo abaixo.