Greve dos motoristas de ônibus deve causar transtornos

Por Michelle Santos - Especial para o blog Hermes de Luna



Os moradores de João Pessoa que dependem de transporte público costumam enfrentar problemas diários. Superlotação, longas esperas e o risco iminente de assaltos são as principais reclamações dos passageiros. E a partir da próxima segunda (07), um novo desafio será acrescentado a esta lista: a greve dos motoristas.



Em reunião realizada na última quarta feira,  o Sindicato dos Motoristas de Transporte Coletivo decidiu, por unanimidade, rejeitar a contraproposta do Sindicato das Empresas e declarar greve. Como a paralisação não será parcial, todos os 480 ônibus das 120 linhas que circulam na Grande João Pessoa não irão às ruas nesta segunda.



Com a decisão, cerca de 300 mil pessoas devem ficar sem transporte na região metropolitana da capital. Para a auxiliar administrativa Sheslla Almeida, a reivindicação dos motoristas é válida, embora os transtornos venham a ser sérios. "Não sou contra a luta dos motoristas e cobradores. Além dessa causa, a paralisação possibilitará uma reflexão sobre a qualidade do sistema de transportes públicos de João Pessoa. Ainda assim, penso em como será difícil cumprirmos com as nossas atividades na segunda-feira", contou.



paradas vazias



 Já o estudante George Júnior se disse contra a paralisação total da frota. "Esse tipo de protesto é válido, mas precisa ser melhor pensado. Parar todos os ônibus da cidade trará consequências graves para quem depende desse meio de transporte. Trata-se de um serviço essencial, que não pode ser completamente tirado da população.



 A paralisação envolve não apenas motoristas, mas também cobradores e demais funcionários das empresas de transportes coletivos. A reivindicação é por 14% de reajuste salarial, a unificação do vale alimentação para R$ 500,00 e o pagamento integral do plano de saúde. A greve não tem duração prevista e novas assembleias devem ser marcadas para as discussões sobre o caso serem aprofundadas.