Instalada a Comissão de Administração da ALPB

Antes da sessão ordinária desta quarta-feira, aconteceu a instalação da oitava Comissão Permanente da Casa, a Comissão de Administração, Serviço Público e Segurança. De acordo o presidente, o deputado Anísio Maia, serão 13 pontos essenciais elencados para serem discutidos nas reuniões da Comissão e a primeira pauta será sobre explosão de caixas eletrônicos. “Nós vamos iniciar nossos trabalhos discutindo sobre as explosões de caixas eletrônicos que têm aterrorizado os paraibanos e, principalmente os municípios que não possuem um aparelho de segurança maior. Entendemos que nesse aspecto de segurança não cabe apenas ao Governo estabelecer regras de proteção, mas também aos bancos. Mas a segurança pública é muito ampla e por isso elencamos esses 13 pontos base”, disse o parlamentar.

Outro tema inicial de discussão da Comissão, sob o ponto de vista da administração e do serviço público será a Universidade Estadual da Paraíba (UEPB). “Estamos discutindo há anos questões sobre a UEPB, mas não nos debruçamos pra discutir com profundidade. Queremos que o debate se estenda além de salários de professores e funcionários. Vamos discutir qual o formato que a universidade deve assumir para satisfazer as exigências da sociedade paraibana”, destacou Anísio Maia.

A Comissão permanente será composta, além do presidente Anísio Maia, pelo vice-presidente Zé Paulo, os titulares serão Gervásio Maia, João Gonçalves e Tovar Correia Lima. Os suplentes serão Tião Gomes, Raniery Paulino, Doda de Tião, Branco Mendes e Dinaldinho Wanderley. A primeira reunião acontecerá já na próxima semana, ainda sem data estabelecida.

Em tramitação na Casa

O projeto de lei número 89/2015 que dispõe sobre a isenção de taxas de embarque às pessoas idosas nos terminais de passageiros rodoviários e aquáticos na Paraíba está em tramitação na Casa. O projeto foi de propositura da Mesa Diretora da ALPB foi publicado nesta quarta-feira no Diário do Poder Legislativo (DPL).

A justificativa para a matéria legislativa é de garantir a gratuidade aos idosos com mais de 60 anos já que essas pessoas, de acordo com a Organização Mundial de Saúde em sua maioria possuem limitações físicas e emocionais e por isso carecem de atenção especial do Estado.