Juiz Ricardo Freitas toma posse no TRE

“Recebo com muita satisfação, orgulho, honra, responsabilidade e principalmente com humildade a missão a mim confiada de integrar, como Membro Efetivo, o Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE- PB) , na categoria de Juiz de Direito”. Assim se expressou o juiz Ricardo da Costa Freitas ao tomar posse, na tarde desta quinta-feira(12), naquela Corte Eleitoral. A solenidade aconteceu na sede do órgão com a presenta de desembargadores, juízes, políticos, autoridades e familiares do magistrado.

O juiz Ricardo Freitas substitui o também juiz Eduardo José de Carvalho, que deixou o TRE para assumir o cargo de Juiz Auxiliar do Tribunal de Justiça da Paraíba. Na ocasião, o empossado foi saudado pelo Corregedor Regional Eleitoral, juiz Tércio Chaves de Moura.

Nas eleições de 2014, o empossado exerceu o cargo de Juiz da Propaganda Eleitoral na Capital. A sua escolha para o cargo aconteceu na sessão do Tribunal Pleno, na última quarta-feira (4).

O presidente do Tribunal de Justiça da Paraíba, desembargador Marcos Cavalcanti de Albuquerque disse, na oportunidade, que via com muita satisfação a indicação do magistrado Ricardo da Costa para compor o Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba. “Por conhecê-lo por muitos anos, acredito que, com a larga experiência no 1º Grau, no TRE ele fará também um bom trabalho, por ser um juiz independente e trabalhador ”, ressaltou.

Já o presidente do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba, desembargador João Alves, ao dar posse ao juiz no cargo de Membro Efetivo, enfatizou que a escolha do magistrado Ricardo Freitas foi muito bem pensada e, por isso, aceita por todos os membros da Corte Eleitoral. “ O magistrado já deu provas suficiente de que sabe trabalhar com o eleitoral e que, certamente, engrandecerá a Corte com seus ensinamentos,valorizando ainda mais nossos julgamentos, por ser um magistrado de grande potencial”, afirmou.

Em nome da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Paraíba, o advogado Marcos Cavalcanti Filho destacou que o magistrado Ricardo da Costa Freitas terá a difícil incumbência de dar guarida à preparação do processo eleitoral de 2016.

“Ele terá o papel de conscientizar o eleitor de ser ele o instrumento de maior relevância no cenário político-eleitoral, de garantia da democracia e bem-estar social, onde a Justiça Eleitoral é a legitimadora do poder que é dele – eleitor - que apenas o transfere àquele que escolhe nas urnas para representá-lo”, observou o Cavalcanti Filho.