Mais Médicos e Provab atendem a 62,3% dos municípios

Os Programas Mais Médicos e Programa de Valorização dos Profissionais da Atenção Básica (Provab) estão implantados em 139 municípios do estado, o que representa 62,3%. No total, 419 médicos estão atuando na Paraíba através dos dois programas do Ministério da Saúde, sendo 248 profissionais médicos, através do Mais Médicos, dos quais 147 são cubanos, 92 brasileiros e 9 intercambistas (médicos não cubanos ou brasileiros formados no exterior). Já pelo Provab, são 171 profissionais.

“O Programa Mais Médicos vem contribuindo bastante para a consolidação da Atenção Básica no país, tem contribuído para que os gestores municipais também possam prestar a assistência devida que a população precisa”, disse a gerente de Atenção Básica da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Shênia Maria Felinto.

Para Shênia, é importante fortalecer o programa e os profissionais. “Acreditamos que nesse momento a gente vive no país um embate muito forte e a Atenção Básica está sendo vista como prioridade. O programa em si está focado em fixar profissionais da Atenção Básica, mas essa é apenas uma das estratégias. Se quer também ampliar o número de vagas nos cursos de medicina, que ainda é muito elitista no nosso país, para que assim o povo brasileiro tenha acesso, o que faria não precisarmos mais de médicos estrangeiros”, concluiu a gerente de saúde.

Mais Médicos – Lançado pela Presidência da República em julho de 2013, o programa faz parte de um amplo pacto de melhoria do atendimento aos usuários do SUS, firmado com estados e municípios, com objetivo de acelerar os investimentos em infraestrutura nos hospitais e unidades de saúde e ampliar o número de médicos nas regiões carentes do país.

Provab

O Programa de Valorização do Profissional da Atenção Básica é uma iniciativa de aperfeiçoamento de médicos na Atenção Básica e provimento de profissionais nas regiões mais carentes, como no interior dos estados e nas periferias dos grandes centros. O Provab prevê atuação de profissionais de saúde durante 12 meses em diversos postos de atuação pelo país, supervisionados por uma instituição de ensino, sendo obrigatória a participação em curso de especialização em Atenção Básica provido pela Rede UNA-SUS. Semanalmente, o profissional terá 32 horas de atividades práticas nas Unidades de Saúde e oito horas no curso de especialização.