Mais uma vez, não deu para Lira; PMDB decide manter Renan como líder do Senado

Novamente, não deu para o senador Raimundo Lira. A bancada do PMDB no Senado decidiu, nesta terça-feira (30), manter Renan Calheiros (AL) como líder do partido na Casa. Após quase três horas de reunião, o senador Raimundo Lira disse que houve um acordo para que os vice-líderes do partido façam a defesa das propostas do governo quando Renan tiver opinião contrária. Lira tentava ser indicado como substituto de Renan na liderança.

"Houve um consenso para que o Renan se manifeste em nome dele e, em seguida, os vice-líderes se manifestem". disse Lira. De acordo com o senador, "continua tudo como está". Aliado de Renan, o senador Hélio José (DF) disse que o colega alagoano vai entender a decisão da parte majoritária da bancada. "A única divergência que a gente teve foi na discussão das reformas, [em] que alguns têm posição A e outros têm posição B, uns apoiam e outros não apoiam. Mas a maioria apoia", disse Hélio José após o encontro.

Nas últimas semanas, em diversos momentos, Renan fez duras críticas ao projeto da reforma trabalhista, que tramita no Senado, e a decisões tomadas pelo Palácio do Planalto. A postura provocou mal-estar na bancada. Na semana passada, em discurso no plenário, o senador chegou a dizer que a Casa não poderia aprovar uma reforma que "ferra" com o povo.

Em seguida, o presidente do PMDB e líder do governo no Senado, Romero Jucá (RR), rebateu Renan e disse que todas as críticas dali em diante seriam "respondidas fortemente".