Ministro destaca avanços com o Mais Médico na Paraíba

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, apresentou nesta terça-feira (10) dados positivos sobre João Pessoa. Os números foram divulgados durante o seminário ‘Mais Médicos para o Brasil’, que aconteceu no auditório da Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Arte e reuniu gestores municipais de toda a Paraíba.



De acordo com o ministro, é notório que a implantação do programa nas cidades agregou mais qualidade e cuidado a prestação de serviço na Atenção Básica. “Com esta iniciativa, o governo garante mais médicos, mais cuidado e mais assistência a quem mais precisa, principalmente àquelas pessoas que vivem nas comunidades e tinham dificuldade ao acesso aos serviços básicos de saúde. Este programa é democrático e coloca os interesses de saúde pública acima de qualquer coisa”, declarou.



Em João Pessoa, a Rede Municipal de Saúde conta com atendimentos de 24 profissionais do Programa Mais Médicos, do Governo Federal. Desse total, três são estrangeiros.



Para o secretário municipal de Saúde, Adalberto Fulgêncio, trata-se de um programa bem elaborado. “O Ministério da Saúde investiu em mais médicos e tem qualificado as universidades para o futuro, com aumento de número de vagas nas instituições públicas e privadas de ensino superior. Em contrapartida, a Prefeitura Municipal de João Pessoa, junto com o Governo Federal, investe em infraestrutura e qualificação profissional proporcionando mais condições de trabalho. Trata-se de uma parceria positiva que pensa o SUS e a rede de saúde como um todo, que pensa o cuidado a saúde da população”, destacou.



Segundo dados do Ministério da Saúde, o número total de consultas na Paraíba cresceu de 187.003 para 247.641 mensais, após o ‘Mais Médicos’, o que representa um crescimento de 32,4% nos atendimentos. O aumento de profissionais refletiu também na quantidade das consultas realizadas nas Unidades de Saúde da Família (USF) da Capital.



Houve também um aumento de 34,8% no número total de consultas por demanda agendada, de 28,2% nas consultas de cuidado continuado, 33% nos atendimentos de consultas por demanda imediata e 39,8% no atendimento em saúde mental.



Programa



O Mais Médicos foi lançado em julho do ano passado e faz parte de um amplo pacto de melhoria do atendimento aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Este tem como objetivo aperfeiçoar a formação de médicos na Atenção Básica, ampliar o número de médicos nas regiões carentes do país e acelerar os investimentos em infraestrutura nos hospitais e unidades de saúde.



Levando profissionais para o interior e periferias de grandes centros, o programa já conta com mais de 14 mil médicos alocados em unidades básicas de saúde de quase quatro mil municípios. De acordo com o Ministério da Saúde, em menos de um ano, o programa já beneficia mais de 49 milhões de brasileiros e traz resultados positivos na assistência à população.



Os profissionais do programa cursam especialização em atenção básica, com acompanhamento de tutores e supervisores. Para participar da iniciativa, eles recebem bolsa formação de R$ 10,4 mil por mês e ajuda de custo pagas pelo Ministério da Saúde. Em contrapartida, os municípios ficam responsáveis por garantir alimentação e moradia aos participantes.



Além da ampliação imediata da assistência em atenção básica, o ‘Mais Médicos’ prevê ações voltadas à expansão e descentralização da formação médica no Brasil. Até 2018, serão criadas 11,4 mil novas vagas de graduação em medicina e mais de 12 mil novas vagas de residência médica.