Mobilidade, água e porto serão prioridades da PB

Mobilidade, infraestrutura portuária e recursos hídricos foram as áreas prioritárias definidas pelos parlamentares que compõem a bancada paraibana no Congresso Nacional para as emendas do próximo ano. Na tarde desta quarta-feira (14), eles estiveram reunidos pela primeira vez para tratar sobre o assunto, tendo em vista o orçamento para 2016.

O deputado federal Wilson Filho (PTB), que coordena a bancada paraibana, revelou que os parlamentares elegeram a duplicação da BR 230 de Campina Grande até o Sertão do Estado, ações no Porto de Cabedelo, obras de abastecimento de água e de melhorias no trânsito de João Pessoa, como os projetos mais importantes para as emendas coletivas.

De modo que, além da Capital, Campina Grande e o Sertão paraibano estarão contemplados com os recursos, que também beneficiarão regiões como o Cariri e o Brejo, já que alguns dos projetos hídricos contemplados atendem à população residente nessas áreas do Estado.

“Essa foi a nossa primeira reunião sobre o assunto. Ainda iremos definir os projetos específicos que irão receber os recursos das emendas coletivas de bancada. Porém, a definição foi em consenso. Nossos parlamentares conhecem bem a realidade do nosso Estado e sabem que no momento atual, essas obras são de grande relevância para o desenvolvimento da Paraíba e para garantir melhoria na vida do nosso povo”, explicou Wilson Filho, dizendo que também foi consenso entre os parlamentares a indicação de recursos para um projeto do Governo do Estado, ainda a ser definido.

Além das emendas coletivas, cada parlamentar ainda tem direito a destinar emendas individuais ao Orçamento da União. No encontro dessa quarta, além de Wilson Filho, estiveram presentes os deputados federais Hugo Motta (PMDB), Pedro Cunha Lima (PSDB), Rômulo Gouveia (PSD), Efraim Filho (DEM), Aguinaldo Ribeiro (PP) e Damião Feliciano (PDT).

A reunião sobre o Orçamento aconteceu logo após almoço da bancada com o ministro das Cidades, Gilberto Kassab, que tratou sobre as obras executadas no Estado pelo Ministério.