Movimento Mapa Educação seleciona Prima como modelo de inovação

O Projeto de Inclusão Social através da Música e das Artes (Prima) foi selecionado como modelo de inovação para a educação brasileira pelo Movimento Mapa Educação, projeto nacional que tem como objetivo mostrar e compartilhar iniciativas de sucesso no campo educacional. Dos projetos aprovados, o Prima será um dos quatro que terão direito a fazer conferência oral em Brasília, no dia 29 de agosto. Alunos do Polo de Cabedelo irão mostrar a líderes educacionais, empresários e políticos a filosofia e a metodologia do projeto.

Desenvolvido pelo Governo do Estado desde 2012, o projeto atende a crianças e a jovens carentes do Litoral ao Sertão do Estado, em escolas de cidades como João Pessoa, Cabedelo, Santa Rita, Campina Grande e Patos, contemplando mais de 1,2 mil alunos. Para o gestor do Prima, maestro Alex Klein, o reconhecimento do projeto como iniciativa inovadora para a educação brasileira é motivo de orgulho para professores, alunos e também para os paraibanos.

“A grande filosofia do Prima é a inclusão social e, desde que foi criado, acreditamos que a inclusão social seja alcançada pela educação. É preciso que, para isso, a educação seja atrativa, inovadora e que produza resultados. A música é um dos meios que encontramos para alcançar isso”, pontuou.

Um dos responsáveis por ministrar a conferência para divulgar as ideias contidas no Prima é o coordenador do Polo de Cabedelo, Sérgio Aires. Para ele, um reconhecimento que servirá de incentivo para que o Projeto tenha ainda mais capacidade de mudar vidas e de “mostrar que é possível”. “Quando saiu o resultado, e ficamos sabendo que tínhamos sido selecionados, reacendeu ainda mais o nosso ânimo de continuar, porque percebemos que estamos tocando algo que já deu certo e tem tudo para continuar na trajetória de sucesso”, afirmou. “A música é apenas um maravilhoso incentivo para algo bem maior, que é a inclusão social por meio da educação”, prosseguiu.

O desejo de Sérgio Aires é que agora o Prima possa ser replicado em outros estados brasileiros. “Pelo poder transformador que tem esse Projeto – só quem conhece a realidade de uma comunidade carente sabe o que eu estou querendo dizer –, não tenho dúvidas de que o Prima tem condições de ser replicado, copiado por outros estados e, assim, possa modificar vidas, levar esperança por meio da educação, da inclusão social”, destacou.

Reconhecimento e credibilidade – O maestro Alex Klein destacou que o reconhecimento do Prima como algo com a capacidade de transformar a educação brasileira é apenas um dos incentivos que o Projeto tem recebido desde a criação, em 2012. “Seja pela parceria firmada com o consulado dos Estados Unidos, o que permitiu que nossos alunos tocassem com o solista de piano norte-americano Blair McMillen; seja pela doação de um violão feita pelo Fábio Zanon, um dos violonistas da música erudita brasileira mais importantes; seja pelo reconhecimento da comunidade, que é diretamente beneficiada, temos motivos de sobra para nos orgulharmos e acreditarmos de que estamos no norte certo”, ressaltou. “Pela sua filosofia, o Prima conquistou e vem conquistando algo muito precioso: a credibilidade da sociedade”, acrescentou.

O Projeto – Criado pelo Governo do Estado em 2012, o Projeto de Inclusão Social através da Música e das Artes (Prima) nasceu com o objetivo de levar oportunidade a crianças e a jovens carentes do Estado em escolas da rede pública, principalmente, através da música, com foco na educação. Atualmente, o Prima contempla mais de 1,2 alunos de polos espalhados em cidades como João Pessoa, Cabedelo, Bayeux, Santa Rita, Guarabira, Patos, Cajazeiras e Sousa.

Mapa Educação – O Mapa Educação é um movimento que tem como objetivo engajar o jovem no debate nacional para uma educação de maior qualidade. O Conselho do Movimento é formado por pessoas de diferentes áreas que colaboram com experiências, sugestões e críticas a desenvolver novos projetos educacionais com cada vez mais abrangência e impacto.

Entre as inciativas do Movimento Mapa Educação está o Manifesto Mapa do Buraco, que contou com vozes de diferentes setores da educação, de ex-presidentes, atuais parlamentares e secretários de educação a diretores executivos de fundações, professores, sindicalistas e estudantes, visa construir um panorama honesto das escolas brasileiras e, potencialmente, sugerir ações urgentes para a transformação na educação que o Brasil tanto aguarda e merece. A análise foi baseada em entrevistas e no estudo de documentos base.