Nove unidades hospitalares recebem certificação



Dentro das atividades da Semana Mundial de Aleitamento Materno 2015, o Governo do Estado e o Ministério da Saúde realizam, na próxima quinta-feira (27), a solenidade de entrega das Placas de Certificação das Salas de Apoio à Mulher Trabalhadora que Amamenta. O evento vai acontecer no Hospital Geral de Mamanguape, às 15h.

As unidades hospitalares que vão receber as placas de certificação são: Maternidade Peregrino Filho (Patos), Hospital Geral de Mamanguape, Hospital Regional e Maternidade de Guarabira, Hospital e Maternidade Sinhá Carneiro (Santa Luzia), Hospital Edson Ramalho (João Pessoa), Hospital Regional de Pombal, Hospital Materno-Infantil Dr. Antônio de Pádua (Sousa), Maternidade Dr. Deodato Cartaxo (Cajazeiras) e Hospital CLIPSI (Campina Grande). A implementação e certificação das novas salas eram meta do Governo do Estado para 2015.

As Salas de Apoio à Amamentação visam a criação de espaços adequados para amamentação nas empresas a fim de que as mães possam fazer a coleta do leite, armazenar e levar para casa, garantindo assim a nutrição dos seus bebês com o leite materno, mesmo que tenham retornado ao trabalho.

“Sala de amamentação é a alternativa que permite garantir a saúde dos bebês, a tranquilidade das mães, assim como as presenças no trabalho de modo concentrado e produtivo. Crianças amamentadas com leite materno têm mais saúde, consequentemente as mães trabalhadoras não faltam ao trabalho e há menos gastos com planos de saúde. Ou seja, uma ideia simples e barata. Pouco investimento e muito retorno, garantindo satisfação e muita saúde para todos”, disse a diretora do Centro Estadual de Referência para Bancos de Leite Humano Anita Cabral, Thaíse Ribeiro.

Dados revelam que o trabalho fora de casa dificulta ou leva a interrupção da amamentação. De acordo com o Ministério da Saúde, mais de 34% das mães brasileiras que voltam ao trabalho deixam de amamentar, mesmo recebendo todos os benefícios trabalhistas da Constituição Brasileira de 1988. “A maior parte das mulheres trabalhadoras formais desmamava antes de voltar ao trabalho. No entanto, é possível conciliar vida profissional e amamentação”, disse Thaíse.

“O Governo do Estado promove apoia e protege o aleitamento materno em todos os seus determinantes, pois acredita que nessa política podemos garantir uma infância com saúde e a garantia de uma melhor qualidade de vida ao cidadão paraibano. Sendo assim, a gestão procura alcançar a implementação de políticas públicas em todos os setores e a dignidade da mãe trabalhadora das instituições hospitalares do estado. É através da doação de leite materno que os prematuros das nossas unidades neonatais estão sendo salvos, com um gesto de solidariedade daquelas que podem oferecer um pouco de si e conferir vida aos  prematuros”, concluiu Thaíse Ribeiro.

Para ser doadora basta ligar para o banco de leite mais próximo da sua casa ou para o Banco de Leite de Referência, Anita Cabral, e a equipe irá à sua casa entregar o material para a sua coleta e as orientações necessárias para a doação. O telefone do Centro Estadual de Referência para Bancos de Leite Humano Anita Cabral é (83) 3215-6047.