Novo ouvidor toma posse no MPPB

O novo ouvidor do Ministério Público da Paraíba (MPPB), procurador de Justiça Marcus Vilar Souto Maior, tomou posse na tarde desta segunda-feira (28), em solenidade realizada durante a 4ª Sessão Extraordinária do Colégio de Procuradores de Justiça da instituição. A sessão ocorreu nas dependências do Auditório Procurador de Justiça Edgardo Ferreira Soares, localizado no térreo do edifício-sede da Procuradoria Geral de Justiça (PGJ), em João Pessoa.

Presidida pelo procurador-geral de Justiça, Bertrand de Araújo Asfora, a solenidade foi prestigiada por servidores e membros do MPPB, por familiares do empossado, ouvidores de vários órgão governamentais e da iniciativa privada, além do desembargador José Ricardo Porto, representando a Ouvidoria do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB), e do pastor Estevam Fernandes, da Primeira Igreja Barista da Paraíba.

Logo após o juramento do empossado, discursaram o procurador de Justiça  Doriel Veloso Gouveia (que deixa a Ouvidoria do MPPB depois de quatro anos de mandato), o novo ouvidor e, por último, o procurador-geral Bertrand Asfora. Enquanto Doriel Veloso fez um breve balanço de suas gestões, o novo ouvidor falou dos desafios que enfrentará. Já Bertrand Asfora enalteceu o processo democrático que escolheu Marcus Vilar como novo ouvidor.

Por aclamação do Colégio de Procuradores de Justiça do MPPB e para um mandato de dois anos, o procurador de Justiça Marcus Vilar Souto Maior foi eleito para ocupar a Ouvidoria do MPPB no último dia 16 de julho, durante sessão extraordinária do colegiado.

Natural de João Pessoa e filho de Ildefonso Souto Maior e Nilza Vilar Souto Maior, o procurador de Justiça Marcus Vilar Souto Maior é neto do desembargador Archimedes Souto Maior, falecido em 13 de julho de 1939, então presidente do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB), e sobrinho do desembargador Arquimedes Souto Maior Filho, que também passou pela presidência do Poder Judiciário na Paraíba. Marcus Vilar é casado com Verônica Torquato Souto Maior, pai de Sydney Torquato Souto Maior e avô de Emanuella, Kamily e Gabriella Souto Maior.

Histórico -  Marcus Vilar concluiu o Curso de Direito no Centro Universitário de João Pessoa (Unipê), em 29 de dezembro de 1979. Foi funcionário do Tribunal de Justiça, exercendo vários cargos, na tesouraria, prestação de contas, escrivaninhas criminal, cível e conselho superior da magistratura, passando vários anos como assessor de câmara junto à Primeira Câmara Cível da Capital, pedindo exoneração do cargo para assumir como promotor de Justiça aprovado em 11º lugar, em 13 de maio de 1981, como promotor substituto na Comarca de Malta.

Como membro do Ministério Público da Paraíba passou pelo município de Esperança. Em seguida foi promovido por merecimento a titular da Comarca de Primeira Entrância de Brejo do Cruz; e depois promovido por merecimento para a Segunda Entrância para a Comarca de Itaporanga. Anos depois foi removido por merecimento, para a Comarca de Guarabira.

Em sua trajetória, Marcus Vilar foi promovido por antiguidade para a Comarca de Campina Grande, respondendo pela Promotoria do Registro Público, passando pouquíssimo tempo, sendo removido à capital, para a então recém-criada Curadoria do Meio Ambiente. Após algum tempo, foi removido para a Primeira Promotoria de Família da Capital. Cinco anos após, foi removido para a Primeira Promotoria Cível da Capital, onde permaneceu até 29 de Abril de 2005, quando foi promovido por antiguidade a procurador de Justiça, com assento na Terceira Câmara Cível da Capital, onde permanece até os dias atuais.