Oposição constata precarização no Ortotrauma







Os vereadores que integram a bancada de oposição da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) visitaram, na manhã desta quarta-feira (25), o Complexo Hospitalar de Mangabeira Tarcísio de Miranda Burity, mais conhecido como Ortotrauma. A visita surpresa contou com a presença de Raoni Mendes (PDT), Renato Martins (PSB) e Lucas de Brito (DEM), que ouviram pacientes, acompanhantes e a direção da unidade de saúde.




Durante a visita, os parlamentares conversaram com diversos pacientes, a maioria internada há mais de um mês e sem previsão de realização das cirurgias necessárias. Entre os casos, o da senhora Maria Helena, de 79 anos, que há 42 dias aguarda uma cirurgia para a troca de uma prótese no fêmur. “Já marcaram três vezes, e, por duas vezes, ela chegou a ir para o bloco e voltou sem fazer a cirurgia”, lamentou Joana da Silva, filha da idosa.




O vereador Renato Martins se disse chocado com os depoimentos e lembrou a precariedade no atendimento. “Os pacientes utilizam o frasco vazio de soro para urinar porque não têm cadeira de rodas para levar as pessoas até o banheiro. Esse improviso é para muitas pessoas, em pleno corredor. Virou uma prática de gestão”, desabafou.




A queixa dos pacientes sobre a demora nos procedimentos é generalizada. Além disso, a falta de informações sobre o estado de saúde, a ausência de lençóis e de local para descanso dos acompanhantes (que dormem em cadeiras), os corredores lotados, os banheiros sujos, entre outros problemas, foram constatados pelos vereadores.




Para Lucas de Brito, a visita expôs a verdadeira realidade da Saúde na Capital. “O término da fila do osso foi uma ficção. Existem pacientes que estão há meses no Ortotrauma de forma precária, alojados nos corredores, sem previsão para realizar a cirurgia. O retorno médico também é desumano, porque os médicos marcam um horário pela manhã e só atendem na parte da tarde”.




Os parlamentares viram ainda vários problemas nas instalações do Trauminha, como banheiros danificados e parte do teto quebrado. O líder da oposição na Câmara Municipal de João Pessoa, Raoni Mendes, destacou que o caso é grave e será denunciado aos órgãos competentes. “Temos fotos e vídeos com depoimentos dos pacientes e de seus acompanhantes. Vamos exibir na Câmara e levar ao Ministério Público e ao Conselho Regional de Medicina”, garante.