Pedro economiza R$ 2,7 mi em um ano de mandato

O deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB) chega ao fim do seu primeiro mandato conseguindo uma economia de R$ 2.715.862,52 no seu gabinete. Segundo o parlamentar, essa foi uma decisão tomada em 2015 e que vai o acompanhar, por obrigação, enquanto estiver na vida pública.

“Em um País desigual como o nosso, dinheiro público deve ter como prioridade a busca por justiça social. Não pode ter escassez na creche e abundância no gabinete do deputado. Não pode faltar no hospital e sobrar na gráfica do Senado. Não pode faltar saneamento básico e esbanjar auxílio-moradia. Isso, simplesmente, está errado e precisa mudar”, destacou o deputado.

Pedro disse entender que não faz nada além daquilo do que uma nova mentalidade de País obriga. “Minha função é servir. O povo exige, e eu busco cumprir. Temos que formar um novo caráter de nação. Que o jeitinho brasileiro dê espaço à coletividade, ao respeito ao próximo. E que a mania de justificar vantagens de uma elite dê espaço à empatia para ver cada um crescer”, disse.

Para o deputado, é preciso confiar em um novo Brasil. “Acredito na tecnologia do afeto, na distribuição de oportunidades, na educação como medida de todas as coisas, na solidariedade que fará um novo país. E confio: existe um novo Brasil”, afirmou.

O tucano é defensor da redução da máquina pública e promove economia dentro do seu gabinete. Ele diminuiu pela metade o número de funcionários e renunciou a benefícios na Câmara, como o auxílio moradia e o reajuste do “Cotão”.

Carro oficial - Pedro é autor do projeto 97/2017 que limita a utilização de veículos oficiais para representação pessoal às autoridades máximas das Forças Armadas e dos Três Poderes. A propositura veda o uso com essa finalidade por titulares de cargo ou mandato eletivo, magistrados federais, membros do Ministério Público Federal, Tribunal de Contas da União, Advocacia Pública da União e Defensoria Pública da União, por exemplo.