PMJP inicia plantio de mudas no Parque Solon de Lucena

O Parque Solon de Lucena passa, a partir de hoje, por um processo de ampliação planejada de sua flora. Até a inauguração, o espaço vai receber cerca de 500 novas mudas, entre espécies arbóreas e arbustivas. A medida faz parte da requalificação ambiental do Parque, que será totalmente revitalizado e devolvido à população como um espaço de lazer e contato com a natureza.

O início dos trabalhos foi acompanhado pelo prefeito Luciano Cartaxo na manhã desta sexta-feira (8). Ao lado de alunos da Rede Municipal de Ensino, ele plantou as primeiras 45 mudas do projeto. “O maior objetivo de todo o trabalho que vem sendo feito na Lagoa é devolver a este espaço o caráter de parque, tendo como utilidade principal o lazer, a prática esportiva e uma aproximação das pessoas com a natureza, o que está diretamente ligado ao plantio de novas árvores”, declarou o gestor.

O plantio das árvores está sendo executado dentro de um projeto de ordenamento arbóreo, que tem como meta a criação de um espaço rico em sua flora. “Tudo está sendo pensado para a criação de um espaço bastante equilibrado, e isso começa pela distância entre as árvores, o que é essencial para garantir, por exemplo, espaço para um crescimento saudável”, explicou o chefe da Divisão de Arborização e Reflorestamento (Divar) da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Seman), Anderson Fontes.

Outra preocupação se refere às espécies que vão integrar o parque. De acordo com Anderson Fontes, o projeto busca reforçar a existência de espécies que já fazem parte da paisagem, como o pau-brasil, ipês amarelo e rosa e acácias, todas parte do projeto original do Parque, da década de 1930. As espécies nativas estarão presentes em maior número. “Elas se adaptam melhor ao clima e são mais resistentes às pragas”, explicou Anderson Fontes.

As árvores frutíferas também farão parte da paisagem do novo parque. É o caso das pitangueiras, pitombeiras e mangueiras, além dos oitizeiros, cujos frutos alimentam animais. “É uma forma de atrair animais como pássaros e saguis, que incluem esses frutos em sua alimentação e vão ter no parque um local de vivência”, explicou.

Parque já tem mudas naturais - Apesar de o projeto de replantio está sendo iniciado, outra medida já vinha causando um impacto decisivo para ecossistema do parque. Trata-se da implantação da grama, que possibilitou o nascimento das primeiras mudas naturais do local em anos.

“A grama direciona a água da maneira correta e cria o ambiente propício para a germinação, o que não aconteceria em solo nu. Estudo a Lagoa há mais de 12 anos e é a primeira vez que vejo o nascimento natural de mudas”, contou o diretor do Divar, segurando as mudas de oitizeiro que seriam levadas para cuidados no Viveiro Municipal de Plantas.

O Viveiro fica localizado no bairro Valentina Figueiredo e é lá onde são produzidas todas as mudas utilizadas na arborização urbana de João Pessoa. Uma equipe formada por três jardineiros, coordenada por um engenheiro agrônomo, fará o plantio.