Prefeito visita residencial que vai tirar 86 famílias de áreas de risco

O prefeito Luciano Cartaxo visitou, na manhã desta terça-feira (16), os trabalhos de construção do Residencial Vitória, no bairro João Paulo II. A obra vai garantir moradia de qualidade para 86 famílias da comunidade Citex, naquele bairro. Após mais de 30 anos vivendo em situação de risco, o grupo vai poder, a partir do início de março, morar em uma casa segura e com toda a infraestrutura necessária.

“Nossa gestão tem investido muito em habitação popular porque sabe qual é a importância de um lar na vida de qualquer pessoa”, declarou o prefeito. “Os moradores do Citex estão deixando uma situação de insegurança e falta de tranquilidade em áreas de risco para viver com muita dignidade e conforto”, complementou.

Das 86 casas que estão sendo construídas, cinco são adaptadas para pessoas com necessidades especiais. Do total, 14 ficam dentro da comunidade e outras 72 formam o novo condomínio em uma área próxima no bairro João Paulo II. As moradias possuem 40 metros quadrados (m²) e contam com dois quartos, sala, cozinha, banheiro, terraço e área de serviços.

“Temos buscado garantir toda a dignidade necessária na moradia sem afastar a população de seus vínculos comunitários”, explicou a secretária municipal da Habitação, Socorro Gadelha. “O Citex é mais um exemplo disso, onde as famílias poderão deixar a situação de insegurança em que viviam, mas serão mantidas na região em que construíram a sua vida”, declarou.

Além das casas, a obra vai garantir à população ruas calçadas, sistema de drenagem, rede de esgoto e uma praça para uso coletivo, com playground para as crianças. Além disso, as ruas em seu entorno ganharam pavimentação asfáltica. No total, estão sendo investidos R$ 930 mil em habitação e R$ 640 mil em infraestrutura, totalizando R$ 1.570 milhão. Os recursos são do Programa Social de Habitação (PSH), com contrapartida da Prefeitura de João Pessoa (PMJP).

O casal Elisangela, de 33 anos, e José Fabrício, de 35, estavam no local visitando a futura moradia. Depois de anos vivendo em uma casa com risco de desabamento, eles foram atendidos pela Prefeitura da Capital por meio do Aluguel Social, e hoje estão prontos para mudar para seu próprio lar. “Era um sofrimento quando chovia porque as paredes ficavam molhadas, caía o reboco e o chão era fofo porque ficava em cima de duas fossas. Agora nossa vida vai ser outra, cheia de paz”, prevê Elisangela, que mora ainda com sete filhos.

Para o presidente da Associação de Moradores do João Paulo II, Evandro Nascimento, a mudança é uma conquista. “Batalhamos muito por isso porque sabíamos das condições precárias em que estas famílias viviam. Eram casas sem estrutura, amontoadas em vielas onde não se passava um carro. A vida deles certamente será outra daqui pra frente”, afirmou.