Presidente do INSS, Leonardo Gadelha prevê economia de R$ 8 bi com revisão de benefícios; vídeo

O presidente do INSS, Leonardo Gadelha, afirmou que a revisões em auxílio doença e outros benefícios pagos pelo órgão já resultaram numa economia de R$ 1,5 bi e projeta uma economia adicional de mais R$ 6 bilhões. Segundo ele, a meta é atingir uma economia de R$ 8 bilhões para os cofres públicos.

A revisão foi implantada a partir da MP 767. "Somos obrigados a fazer as revisões com a periocididade máxima por dois anos e isso não vinha sendo feito", comentou. "Estamos eliminando pagamentos indevidos".

Segundo ele, quem se se sentir prejudicado pode recorrer da decisão que cortou os bebefícios e volta a receber, inclsuive com retroativos. Leonardo disse que 40% dos chamados sequer compareceram para passar por uma perícia médica.

Tem 33,7 milhões de beneficiários recebendo pelo INSS. Desse total, 4, 3 milhões são de natureza assistencial.

Em mais de 2/3 dos municípios brasileiros têm economia dependendo dos benefícios do INSS, suplantando tanto o FPM e ICMS. Na Paraíba, apenas em quatro municípios não têm isso. Esses repasses só perdem para programas de transferência de renda, como o Bolsa Família.

O déficit do INSS, somados todos os pagamentos, chagará aos R$ 160 bilhões este ano.

http://www.dailymotion.com/video/x5rscte_correio-debate-entrevista-com-leonardo-gadelha-presidente-nacional-inss_news