Presidente do PT-PB lamenta ataques de secretários aos petistas

O presidente estadual do PT, Jackson Macedo, lamentou que alguns auxiliares do governador Ricardo Coutinho (PSB) venham atacando seu partido, que critica a terceirização da Educação no Estado. Segundo Jackson, alguns secretários estão se posicionando "de forma grosseira, despolitizada e sem compromisso".

Mesmo assim, o presidente estadual do PT continua defende um diálogo com o governador, para referendar a política de alianças em 2018. "Só lamentamos isso", disse.

Jackson lembrou que, na época do final do governo Dilma Rousseff (PT), o governador Ricardo Coutinho se manifestou contrário a algumas políticas na área econômica, mas nem por isso sofreu ataques dos petistas.

Ele ainda rebateu as declarações do secretário de Comunicação Institucional, Luis Tôrres, que, no programa 'Correio Debate', na rádio 98FM de João Pessoa, acusou o PT de querer fazer a população de "massa de manobra". "O PT não quer fazer população de massa de manobra. O PT quer debater, o que não foi feito até agora", disse.

Segundo o presidente do PT-PB, o governo do estado não ouviu sequer um Conselho Estadual de Educação. "Sequer ouvir os sindicatos para se chegar a um denominador comum", comentou.

Para ele, cabe ao PT debater o projeto, "sem subserviência". Jackson defende o partido não é igual a outros aliados do governo do estado, que "estão o tempo todo balançando a cabeça".