Projeto do BRT e destaca novo conceito de mobilidade

Conforto, comodidade e eficiência. Estas são algumas das vantagens do BRT (Bus Rapid Transit), que está sendo implantado pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP). O sistema consiste em um “metrô sobre rodas” e está em fase de licitação. O projeto foi apresentado nesta sexta-feira (29), no Paço Municipal, pelo prefeito Luciano Cartaxo e pelo secretário de Planejamento, Rômulo Polari.
 
A obra, que conta com recursos do Governo Federal, através do Ministério das Cidades, o PAC 2 – Grandes Cidades/Programa de Mobilidade, está orçada em cerca de R$ 188 milhões e, segundo Luciano Cartaxo, vai revolucionar o conceito de mobilidade em João Pessoa. “Haverá mais conforto, acessibilidade e eficiência nos transportes públicos. Isso vai estimular as pessoas a deixarem o carro em casa e irem trabalhar de ônibus”, disse.
 
Segundo o secretário de Planejamento, Rômulo Polari, o projeto consiste na construção de cinco corredores por onde o BRT deve trafegar. São eles: Cruz das Armas, 2 de Fevereiro, Epitácio Pessoa, Pedro II e o Corredor Central da cidade. “Os BRTs terão tudo o que o usuário precisa: conforto, eficiência e comodidade”, destacou.​
 
O secretário adiantou também que o sistema de tráfego do BRT, quando concluído, ficará online para a população poder acessá-lo, desde que possua um aparelho celular com internet. Segundo Polari, os BRTs deverão, inclusive, gerar uma mudança cultural para os pessoenses no que diz respeito à mobilidade urbana. “Vamos oferecer eficiência no tráfego, através de corredores exclusivos para os BRTs, pois não haverá interferência de outros transportes, que reduzirá de 40% a 50% o tempo gasto no trajeto. Esperamos que este seja um fator determinante para reduzir o transporte individual na cidade, com a opção pelo transporte coletivo de qualidade”, ressaltou.
 
Rômulo Polari frisou, ainda, que esta é uma gestão com um objetivo de metas e ações que está sendo cumprido fielmente, em todas as suas proposições, a exemplo do BRT, da reurbanização do Bairro São José e da Lagoa, do Parque Casa da Pólvora e da reforma da Cidade Antiga.
 
O projeto dos corredores - O corredor da Área Central englobará os bairros do Centro, Tambiá, Varadouro e Trincheiras. Ele contará com um Terminal de Integração Intermodal para o sistema metropolitano. A proposta para integração dos sistemas consiste na construção de uma nova área ao lado do Terminal Rodoviário, para integrar não só as linhas urbanas, mas também as intermunicipais. No Varadouro, ao lado do Terminal Rodoviário, será construído um terminal metropolitano que abrigará todas as linhas de João Pessoa e linhas intermunicipais, interligado ao sistema ferroviário.
 
O corredor de Cruz das Armas terá seu terminal de integração nas proximidades do Viaduto de Oitizeiro. Será feita a duplicação da avenida no trecho pertencente ao bairro Oitizeiro, transformando-a em pista dupla com canteiro central. Será executada a construção de estações de parada de ônibus com faixa exclusiva junto ao canteiro central ao longo de toda a avenida e investimento em vias paralelas para a circulação mista de veículos, já que na avenida principal será apenas uma via em cada sentido.
 
No corredor Pedro II, o terminal de integração construído pela Prefeitura servirá de convergência das linhas quando saem dos bairros, nas proximidades da Cehap; contará com estações de parada de ônibus e de faixa exclusiva ao longo das Avenidas Rodrigues Alves, Sérgio Guerra e Walfredo M. Brandão. Serão efetuados investimentos em vias paralelas para a circulação mista de veículos.
 
No Corredor Epitácio Pessoa será feita a implantação de uma faixa exclusiva e prioritária para o transporte público junto ao canteiro central. Duas faixas serão destinadas para o tráfego misto. Serão feitas ainda a construção de estações de parada de ônibus junto ao canteiro central e implantação de bicicletários nas imediações das estações. A faixa junto ao canteiro central será exclusiva para ônibus e existirão também linhas expressas. Ou seja, uma linha sai do centro da cidade e irá até Mangabeira sem parar em nenhum semáforo. Haverá um sistema de comunicação que informará aos usuários a proximidade dos ônibus e quanto tempo levará para chegar o próximo, com isso, o usuário terá a informação precisa do horário de chegada de seu transporte.
 
E para o corredor 2 de Fevereiro, haverá a construção de um viaduto na interseção da BR-230 com a Rua Valdemar Naziazeno, interligando os bairros Cristo Redentor e Ernesto Geisel, além da construção de um terminal de integração nas imediações do Estádio Almeidão e investimentos nas vias que compõe o corredor para melhorar a velocidade do ônibus.
 
O BRT – Bus Rapid Transit ou Transporte Rápido por ônibus é um sistema de transporte coletivo de passageiros que proporciona mobilidade urbana rápida, confortável, segura e eficiente por meio de infraestrutura segregada com prioridade de ultrapassagem, operação rápida e frequente, proporcionando excelência no serviço ao usuário.
 
O sistema BRT não propõe apenas uma mudança na frota ou na infraestrutura do transporte público coletivo. Mas sim um conjunto de mudanças que juntas formam um novo conceito de mobilidade urbana. A implementação de sistemas de trânsito de alto desempenho, eficientes e ecologicamente sustentáveis consta mundialmente da agenda política de planejadores urbanos e ambientais.
 
Confira o vídeo do projeto do BRT clicando aqui.