Promotoria requisita da PMJP projeto para a prática de esportes radicais

A 2ª Promotoria do Meio Ambiente e Patrimônio Social da Capital concedeu um prazo de 60 dias para que a Prefeitura Municipal de João Pessoa apresente projeto com solução para a prática de esportes radicais (como skates, patins e patinetes). A medida foi determinada pelo promotor de Justiça João Geraldo Barbosa em audiência realizada na última terça-feira (2). Atualmente, esses esportes estão sendo praticados em calçadas e ciclovias da orla da Capital.

O promotor também recomendou que os espaços para a prática desses esportes existentes na Capital sejam recuperados. A Promotoria também vai oficiar às Secretarias de Segurança do Estado e do Município para tomarem providências para garantir a segurança dos cidadãos que transitam na orla.

O procurador do Município Antônio Fernando informou na audiência que existem estudos na Secretaria Municipal de Juventude, Esporte e Recreação (Sejer) de uma nova área para a prática de esportes radicais e solicitou um prazo para apresentar o projeto técnico.

Durante a audiência, o presidente da Associação de Skates da Paraíba, Henrique Thomas Soares, registrou que a falta de ordenamento da prática de esportes radicais na orla marítima põe em risco a vida dos seus praticantes. Ele relatou ainda a falta de manutenção dos equipamentos voltados à prática desses esportes e o descaso da segurança pública estadual e municipal, principalmente na pista de skate mais frequentada da cidade, localizada no retão de Manaíra, onde se encontram flagrantes de consumo e tráfico de drogas, além de roubos e assaltos.

João Geraldo ressaltou a ausência da Superintendência de Mobilidade Urbana (Semob) na audiência bem como de informações a respeito da fiscalização da mobilidade urbana na orla da Capital.