PT busca pressão dos movimentos sociais

A segunda-feira dá o ponta pé ao desfecho do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, em Brasília. A Comissão especial da Câmara dos deputados vota o parecer do relator Jovair Antunes (PR-GO), favorável ao impedimento. O PT se mobiliza com os segmentos da sociedade civil, na tentativa de barrar o processo. A presidente estadual do Partido dos Trabalhadores, Giucélia Figueiredo, foi acompanhar todo o processo, que deverá ter o ápice no próximo fim de semana, com a votação no plenário da Câmara.

Essa pressão partidária vai em busca de novos aliados nas horas que faltam ao processo desembarcar no plenário, mas acisa de tudo tenta conter a sangria que pode aumentar com a pressão popular, a reprodução de novas denúncias pela mídia e, principalmente, pelos fatos novos que possam revelados no âmbito da operação Lava Jato.

No campo dos movimentos sociais, os aliados de Dilma tentam uma resposta forte, que incomode de vez os defensores da saída da presidente Dilma. o deputado Frei Anastácio (PT) alerta para isso. Frisa a chegada do "abril vermelho" e acha que a pressão popular pode arrefecer a fúria contra o mandato da presidente.

Confira no vídeo do Portal a declaração de Anastácio.

https://youtu.be/0kP7EqF_pBU