Salão de Artesanato movimenta R$ 800 mil

Com o tema “Da terra, a nossa arte”, o 20º Salão de Artesanato da Paraíba, em Campina Grande, já comercializou aproximadamente R$ 800 mil, com 39.481 peças vendidas e outras 1.291 encomendadas. O Programa de Artesanato da Paraíba (PAP) divulgou o levantamento, que também contabilizou a visitação de mais de 60 mil turistas no período de 14 a 26 de deste mês.

Em meio aos festejos do Maior São João do Mundo, Copa do Mundo de Futebol e férias escolares, os artesãos produzem e comercializam em ritmo acelerado para atender a demanda dos visitantes que querem levar para casa uma recordação da Paraíba e do Brasil. São quase quatro mil artesãos de 128 municípios paraibanos, distribuídos em uma área de 3.800 metros quadrados próxima ao Parque do Povo.

Com o saldo positivo, a tipologia habilidades manuais (R$ 195.956) lidera o ranking de vendas, seguido de fios (R$ 94.162), gastronomia regional (R$ 74.382), algodão colorido (R$ 60.634) e couro (R$ 59.751). Outras habilidades também ganham destaques com a comercialização de peças como os brinquedos populares (1.668), cerâmica (1.481), pedra (926), xilogravura e cordel (1.113), metal (643) e osso (424).

Investimentos – O Governo do Estado tem investido na produção artesanal da Paraíba através da concessão de crédito pela linha Artesão do programa Empreender-PB, que já destinou R$ 1 milhão. Além disso, há o investimento voltado para as Casas de Artesanato, onde já foram aplicados mais de R$ 300 mil nas regiões do Sertão, Cariri e Curimataú. Nesses ambientes, os artesãos podem exibir seus produtos e incrementar as vendas.

Entre os artesãos beneficiados pelo Empreender destaca-se o campinense Willians Souza que trabalha com algodão colorido. Pela segunda vez ele adquiriu crédito e investiu fortemente na produção que já tem bons lucros. “Na primeira vez consegui R$ 3 mil e, neste ano, tive a liberação de R$ 10 mil. Pude investir em máquinas, paguei dívidas, comprei matéria-prima e reservei para o capital de giro da minha empresa. Estou muito satisfeito e realizado junto aos meus novos funcionários”, exclamou o artesão. Durante o ano ele ainda entrega encomendas e participa de diversas feiras em Natal, Recife, Alagoas, São Luiz, Piauí e outros estados brasileiros.

Outras campeãs em vendas do algodão colorido são as artesãs Miriam e Maria José Rodrigues, de João Pessoa, além de Carolina Piquet com a tipologia do patchwork, trabalho feito em retalhos de tecido onde cada artesão tem sua técnica.

O casal de artesãos Rosélio da Silva e Maria Helena trabalham com couro há 15 anos e está otimista com as vendas depois do investimento: “Pegamos R$ 5 mil com o Empreender e pudemos comprar mais couro e peças para ampliar nossa produção familiar. Graças a Deus, deu certo, estamos vendendo muita bolsa, sapato, cinto e portas-moedas, e já não vemos a hora de participar das próximas feiras, pois o couro sempre está em alta. Por isso, neste momento meu marido está em casa trabalhando para darmos conta da alta demanda”, avaliou a artesã.

Além deles, foram beneficiados artesãos da cerâmica, como Sérgio Teófilo do município de Dona Inês e Nevinha (Itabaiana), Batista (Nova Palmeira) e José Morais, além das rendeiras Dorinha e Eliete, de Monteiro. Seu Enoque (que produz brinquedos populares) e Ednaldo Farias (que trabalha com MDF e craquelê) também foram beneficiados.

Linha de crédito Artesanato - O Empreender Artesanato já beneficiou cerca de 600 artesãos em todo o Estado capitalizando produções de artigos em renda renascença, couro, madeira, algodão colorido, fios, tecidos, bijuterias, crochê, tecelagem, tricô, bordado, entre outros. Cerca de R$ 1 milhão já foram investidos pelo Programa em empreendimentos nas regiões do Cariri, Curimataú, Agreste, Seridó e litoral paraibano. Este ano, uma cerca de 250 artesãos de João Pessoa, Pedro Régis, São João do Tigre, Logradouro e Ingá já receberam o total de R$ 510 mil. Mais 45 artesãos devem receber os cheques ainda este mês, no total de R$ 90 mil.

Financiamento – Podem se inscrever no Empreender Artesanato as pessoas físicas maiores de 18 anos, que residem no Estado há mais de seis meses, e pessoas jurídicas, devidamente registradas dentro do mesmo período. Os empréstimos são de até R$ 2 mil, carência de quatro meses, parcelas fixas e mensais no prazo de até 18 meses, com taxa efetiva de juros de 0,5% ao mês + aval garantidor de 2%.

Empreender PB – Por meio do Empreender PB, o Governo do Estado já investiu cerca de R$ 65 milhões, beneficiando mais de 50 mil empreendedores indiretamente, atendidos pelas linhas de crédito, que atualmente são cinco: Individual, Coletivo, Artesanato, GNV – Gás natural e Empreender Mulher, esta última em parceria com a Secretaria da Mulher e Diversidade Humana. Cada uma possui sua especificidade e todas elas possibilitam a aquisição do investimento para qualquer área de negócio produtivo.

Cadastramento - O contato com o Empreender PB pode ser feito pelo telefone 83.3218-4428 e/ou redes sociais: Facebook – (facebook.com/empreenderpb) e Twitter – (@EmpreenderPB).

O Programa do Artesanato Paraibano é vinculado à Secretaria de Estado de Turismo Desenvolvimento Econômico e coordenado pela primeira-dama do Estado, Pâmela Bório. O Salão de Artesanato da Paraíba conta com o apoio do Governo Federal, Programa de Artesanato Brasileiro (PAB), Sebrae-PB e Governo do Estado da Paraíba.

Horário de funcionamento - Mesmo nos dias de jogo da Copa do Mundo de Futebol, o evento funciona normalmente. O atendimento é ininterrupto ao público até este domingo (29), no horário das 11h às 22h. Já da segunda (30) até o dia 6 julho será das 15h às 22h. O Salão está localizado em uma área antes ocupada pela concessionária Ourovel, na Avenida Severino Cabral (antiga Avenida Brasília), no bairro do Catolé, em Campina Grande.