Secretário diz que Ricardo ficaria no cargo mesmo se Lígia fosse do PSB

O secretário estadual de Comunicação Institucional, jornalista Luis Tôrres,descartou qualquer motivo para que o governador Ricardo Coutinho (PSB) tenha decidido ficar no cargo até o fim do seu mandato por desconfiar das atitudes políticas da vice-governadora Lígia Feliciano (PDT). "Não se trata de falta ou não de confiança. É uma disposição dele de ficar, de fechar o governo, de chegar a dezembro", afirmou.

Segundo Tôrres, na conversa com Lígia, Ricardo teria dito que ela se porta com governadora, "com postura, com tamanho desse projeto".

O jornalista garante que mesmo se Lígia fosse do PSB a postura de Ricardo continuaria a mesma, porque o governador quer concluir o seu mandato. "Não fosse assim não teria acontecido o que aconteceu em 2012. Alguém tinha alguma dúvida do processo de confiança que o governador teria com o ex-prefeito Luciano Agra? Da relação de mais de 20 anos de amizade? E, mesmo assim, isso não foi suficiente para que eles estivessem juntos em 2012. Houve ali um processo que saiu do controle. E a gente está falando de um amigo de dentro de casa, no nível máximo”, ressaltou.

Luis Tôrres ressaltou a disposição do governador em permanecer no mandato até o fim. "O governador quer o roteiro dele seja quem fosse o vice. Lígia desempenha um papel respeitado, ela desfruta do respeito de todos”, comentou.