TCE-PB homenageia Marcos Costa

“Eu penei, mas aqui cheguei”. Foi com esse refrão da canção “Pau de Arara” interpretada por Luiz Gonzaga, clássico da música popular brasileiro, um dos hinos do povo nordestino, que o grupo de forró “Os Gonzagas” saudou o conselheiro Marcos Antônio Costa - falecido em agosto passado, durante sessão especial realizada pelo Tribunal de Contas do Estado.

O evento iniciou com a apresentação de um vídeo institucional sobre a trajetória de vida do homenageado, produzido pela Assessoria de Comunicação do TCE. ( ASSISTA AQUI )

A Corte de Contas presta, na oportunidade, homenagem ao conselheiro Marcos Costa, “homem íntegro, sereno, justo e de muitos amigos,” disse o conselheiro-presidente do TCE, Arnóbio Alves Viana, ao destacar as qualidades daquele que entre suas virtudes orgulhava-se do cargo que exercia no Tribunal de Contas e de sua origem sertaneja.

Com a presença de familiares e amigos, as homenagens começaram com a fala do conselheiro Nominando Diniz Filho, em nome da Corte. Ele lembrou a trajetória de Marcos Costa, que ingressou no Tribunal de Contas pela porta do concurso público e ao longo de sua história sempre esteve presente em todos os momentos. “Quis o destino que sua missão fosse encerrada no plano de Deus”.

Coube ao conselheiro Juarez Farias, em nome dos aposentados, discorrer a respeito da passagem do homenageado. “Prata da casa, o conselheiro Marcos Costa foi brilhante em sua carreira técnica e funcional e será lembrado pela dedicação, dignidade e gosto pelo trabalho.”, frisou, reiterando o exemplo de servidor, que sempre agiu com ética e entusiasmo.

A técnica de contas públicas Marilene de Sousa Rêgo falou em nome dos colegas de trabalho e lembrou várias passagens na convivência no gabinete do conselheiro homenageado. “Ele era um homem bondoso, temente a Deus e trabalhador”, disse.

Ao reforçar seu senso de justiça, mesmo sentimento manifestado pela sobrinha, a auditora Luisi Costa, que também usou da palavra para enaltecer as qualidades de Marcos Costa.

-Foram anos de dedicação e entrega ao Tribunal de Contas, seu ambiente de trabalho, considerado por ele como sua segunda família – enfatizou Lorena Leite da Costa, filha de Marcos Costa, em sua fala em nome dos familiares, ao lado de Luizi Costa.

Antes do encerramento a Violinista Bárbara Azevêdo executou as canções “Lamento Sertanejo”, de Gilberto Gil e Dominguinhos, e “Canção da América”, de Milton Nascimento, em um dos momentos de emoção durante a solenidade.

Ao final, após a entrega de placa à família, em reconhecimento aos serviços prestados pelo conselheiro, em vida, e outra recebida pelo diretor geral do TCE, Umberto Porto, que retrata a transferência de pertences do homenageado para o memorial do Tribunal.

Em seguida, “Os Gonzagas”, grupo formado pelos sobrinhos Yuri Gonzaga Gonçalves da Costa e Daniel Costa, reverenciou a memória do tio, tocando e interpretando a música “Pau de Arara”, o hino que o conselheiro costumava cantar e guardava como dádiva de sua trajetória de vida como sertanejo de Itaporanga (PB), antiga Misericórdia - como ele costumava dizer, para vencer na cidade grande.

Presidida pelo conselheiro Arnóbio Alves Viana, a mesa dos trabalhos na sessão extraordinária, em caráter especial, foi formada pelos conselheiros Antônio Nominando Diniz, Fernando Rodrigues Catão, Fábio Túlio Nogueira, Arthur Cunha Lima e André Carlos Torres Pontes. Ainda os substitutos Renato Sérgio Santiago Melo (na titularidade do cargo) e Antônio Cláudio Silva Santos. Também o procurador geral Luciano Andrade Farias e os conselheiros aposentados Juarez Farias, Flávio Sátiro Fernandes, Luiz Nunes Alves, Gleryston Lucena e Umberto Silveira Porto, além da procuradora aposentada Ana Tereza Nóbrega.

 

Assista:

http://tce.pb.gov.br/noticias/tce-presta-homenagem-a-memoria-do-conselheiro-marcos-costa-em-sessao-especial-no-plenario-da-corte