TCU ampliará intercâmbio para fortalecer combate à corrupção

 

O Tribunal de Contas da União vai intensificar o intercâmbio nacional e internacional para o compartilhamento, junto às redes de controle interno e externo da aplicação dos recursos públicos, para integrar mais, ampliar e fortalecer o trabalho das instituições e entidades que lutam contra a corrupção no Brasil.

A decisão, já inserida inclusive no Planejamento Estratégico do Tribunal para 2015, foi anunciada nesta sexta-feira (22), pelo secretário de Controle Externo do TCU, Rainério Rodrigues Leite, em palestra de encerramento do Seminário Nacional sobre Cooperação para a Prevenção e o Combate à Corrupção, que reuniu durante três dias no Centro Cultural Ariano Suassuna, do Tribunal de Contas da Paraíba, autoridades e especialistas de 20 estados brasileiros.

Ao falar sobre “O TCU e a Rede de Controle”, Rainério Rodrigues lembrou o amplo diagnóstico interno, denominado projeto Áquila, feito pela instituição em 2008 nas áreas de processos, estratégias e pessoal. O levantamento ajudou a identificar baixa articulação que havia  junto aos demais órgãos de controle espalhados pelo país, por causa, principalmente, de disputas de prestígio entre órgãos, pouca integração e até sobreposição de trabalhos.

Durante sua exposição, ele destacou algumas das principais vantagens que a criação das redes de controle trouxe para o combate a corrupção, como por exemplo: permitir relações de complementaridade de ações e iniciativas entre seus membros, propiciar inovações e gerar uma diversidade de conexões que possibilita a substituição de funções.

“Enquanto hierarquias limitam a ação de seus componentes pela formalização e especialização das atividades, as redes ampliam os espaços formais e informais de interação, além de possibilitarem a complementaridade de recursos e habilidades”, explicou.