Trauma de JP contemplado com programa da Saúde e Educação

Bastões, caneleiras, bolsas de gelos, bolas suíças, entre outros materiais, foram entregues ao Hospital Estadual de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena para a prática de exercícios fisioterápicos com os pacientes do Hospital de Traumatologia e Ortopedia da Paraíba (Htop), hospital de retaguarda da unidade hospitalar. A entrega dos materiais faz parte do Programa de Educação pelo Trabalho - Rede de Atenção à Saúde da Pessoa com Deficiência - PET-RAS e é uma ação conjunta entre os Ministérios da Saúde e Educação.

“Os materiais recebidos pela instituição de saúde serão utilizados na reabilitação dos pacientes para que tenham funcionalidade cada vez melhor. Sentimo-nos muito felizes com essa conquista que tem um significado muito especial para os nossos usuários”, ressaltou o superintendente da Cruz Vermelha na Paraíba, Milton Pacífico.

A Secretaria de Estado da Saúde, por meio do Centro Formador de Recursos Humanos da Paraíba - (Cefor-RH/PB), instituição responsável pela gestão da Rede Escola SUS-PB no Estado, é parceira do projeto e entende a importância do fortalecimento dos programas de integração ensino-serviço como uma maneira de potencializar a aprendizagem por parte dos futuros profissionais da saúde.

A diretora geral do Cefor-RH/PB, Candice Chiara, destacou a importância da parceria: “Reafirmamos nosso compromisso em desenvolver conjuntamente as ações estabelecidas no estrito cumprimento de suas finalidades. Os materiais que começaram a ser entregues fazem parte de um conjunto que visa fortalecer as ações do programa e serão alocados nos serviços públicos de saúde que são cenários de prática dos estudantes”, destacou.

Além dos materiais fisioterápicos recebidos, o projeto PET-RAS da Pessoa com Deficiência viabiliza a perspectiva de aquisição de mobiliário, equipamentos de fisioterapia e também de informática destinados aos estudantes e fisioterapeutas do Hospital de Trauma/Htop. É importante salientar que o orçamento aprovado para o projeto contempla ainda a criação de um banco de empréstimo de auxiliares para marcha e locomoção para os pacientes da instituição como bengalas, muletas, andadores e cadeiras de rodas.

Programa - O Programa de Educação pelo Trabalho para Saúde constitui-se em um instrumento para viabilizar programas de aperfeiçoamento e especialização em serviço dos profissionais da saúde, bem como de iniciação ao trabalho, estágios e vivências, dirigidos aos estudantes da área, de acordo com as necessidades do Sistema Único de Saúde – SUS (conforme Portarias Interministeriais 1802/2008 e 917/2009, e Edital Número 24 de 15 de dezembro de 2011, Edital Número 14 de 8/03/2013).

Segundo o coordenador geral do PET/UFPB, Franklin Forte, os objetivos do projeto local são: estimular mudanças curriculares para a formação de estudantes dos cursos de graduação na área da saúde de acordo com as necessidades do SUS; desenvolver processos de formação e educação permanente com os profissionais dos diversos serviços das Redes Atenção a Saúde, com vistas a qualificação das ações e serviços de saúde;  estimular e fortalecer iniciativas de mudança do processo de trabalho em saúde no caminho da integralidade e na perspectiva de trabalho em rede, bem como desenvolver pesquisas com base nas necessidades das Redes Atenção a Saúde (RAS).

A Universidade Federal da Paraíba foi uma das selecionadas nacionalmente para desenvolver o projeto PET- Redes de Atenção à Saúde  2013-2015, e tem quatro grupos tutoriais  atuantes, um deles é o de rede de atenção à saúde da pessoa com deficiência, o qual desenvolve ações de pesquisa e interação ensino–serviço em vários cenários de prática: entre eles o Hospital de Trauma  e Htop.

“Este projeto oportunizou a aquisição de materiais para otimizar os atendimentos de fisioterapia por estudantes, docentes e fisioterapeutas do serviço. Está prevista ainda a reforma/adequação de dois ambientes no Htop: um que será um banco de empréstimo de muletas, bengalas, cadeira de rodas e andadores para pacientes internados nesses hospitais e o segundo, uma sala de apoio para estudantes, docentes e fisioterapeutas, onde ficarão alojados os novos materiais/equipamentos  e  haverá  espaço para discussão de casos, realização de pesquisas e outras atividades pedagógicas para a excelência do processo de ensino-aprendizagem e troca de saberes”, explicou a professora do curso de Fisioterapia Lígia Ortiz Stolt, tutora do Grupo PET RAS da Pessoa com Deficiência/ UFPB, a qual foi uma das responsáveis pela solicitação dos recursos mencionados.