Usina de concreto acelera obras da barragem Camará

As obras da barragem Camará, no município de Alagoa Nova, vão ser aceleradas com a instalação de uma segunda usina de produção de concreto. O investimento do Governo do Estado na reconstrução do manancial é de R$ 50 milhões, para garantir oferta de água a 170 mil pessoas de sete cidades.

A barragem, que tem capacidade total de 26 milhões de metros cúbicos, começará a acumular água este ano e vai abastecer os municípios de Alagoa Nova, São Sebastião de Lagoa de Roça, Matinhas, Puxinanã, Remígio, Lagoa Seca, Esperança, além de distritos da região como São Tomé, Campinote, Cepilho, dentre outras comunidades.

Em visita de inspeção nessa terça-feira (20), o secretário da Infraestrutura, Recursos Hídricos, Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia, João Azevedo, constatou o bom ritmo das obras que envolvem hoje 140 operários. “Com a instalação da segunda usina de concreto, esse ritmo vai ser acelerado para que a gente possa agora em 2015 começar a acumular água, dando início à solução de problemas de abastecimento, principalmente da região de Remígio e Esperança”.

Obra segura – O secretário ressaltou que a reconstrução da barragem Camará passa por um processo de acompanhamento dos maiores profissionais do Brasil, geólogos e especialistas em barragens. “É uma obra que tem todos os cuidados para que possa oferecer essa tranquilidade à população”. A barragem será inaugurada no segundo semestre deste ano, com a primeira etapa da adutora em funcionamento.

João Azevedo esteve acompanhado pelo secretário executivo da Infraestrutura e Recursos Hídricos, Deusdete Queiroga, pelo deputado eleito João Bosco Carneiro Júnior, além do engenheiro proprietário da construtora Andrade Galvão Engenharia, Antonio Galvão.

“Aqui nós temos a nata dos mais renomados técnicos do Brasil na elaboração de estudos, a exemplo de professores da USP, e a obra em si vai se consagrar como um conhecimento adicional para a engenharia que deve ser observado por projetistas, por contratantes, por executores. Aqui é, na verdade, uma escola”, revelou Antonio Galvão. Ao final da reconstrução, a obra terá consumido 40 mil metros cúbicos de concreto.

Além de reconstruir Camará, o Governo do Estado também está implantando um sistema adutor para distribuir água para sete municípios e três distritos. “Nós já estamos com cerca de três quilômetros de adutora já executados e a estação de tratamento em processo inicial”, destacou João Azevedo. A adutora de 74 quilômetros tem investimentos de R$ 75 milhões.

Histórico – Inaugurada em 2002, a barragem Camará sofreu um rompimento em junho de 2004. Em 2011, o Governo do Estado decidiu pela reconstrução, após ouvir prefeitos da região e renomados especialistas.