Vice da PRG diz que momento do país exige prudência

Em entrevista exclusiva ao Correio Debate, na TV CORREIO, nesta sexta-feira (25), o vice-procurador-geral da República, Luciano Mariz Maia, disse que o Brasil vive uma situação preocupante, que exige  prudência, diante da crise de desabastecimento provocada pela paralisação dos caminhoneiros. Paraibano, Luciano advertiu que várias esferas de direitos estão sendo afetadas e, por extensão, afetam o funcionamento da sociedade. Ele endossou expressão utilizada pelo senador paraibano Cássio Cunha Lima, do PSDB, de que falta governo.

A respeito da decisão do governo de empregar as Forças Armadas para pôr um fim ao movimento de paralisação, Luciano Mariz alertou que o governo só deveria recorrer ao Exército em última instância. Lembrou que a utilização das Forças Armadas para a garantia da lei e da ordem está prevista em Lei Complementar de junho de 1999. “A legislação é clara ao sublinhar que a atuação das Forças Armadas na garantia da lei e da ordem ocorrerá após esgotados os instrumentos de garantia da ordem pública por parte das forças de segurança que atuam nos Estados”, salientou o vice-procurador, que atua junto à Procuradora-Geral da República Raquel Dodge.