Vice-governadora abre Campanha Outubro Rosa

A vice-governadora Lígia Feliciano abriu, nesta segunda-feira (2), a Campanha Outubro Rosa, com o slogan “Carregamos no peito a esperança”. O evento foi realizado no Centro de Especialidades de Diagnóstico do Câncer (CEDC), da Secretaria de Estado da Saúde (SES), e contou com as presenças da secretária executiva da Saúde, Maura Sobreira; gestores e trabalhadores da Saúde, além de mulheres que são atendidas no CEDC. A Campanha acontece em todo país com o incentivo às mulheres a procurarem as Unidades de Saúde da Família (USF) para realizarem exames de mamografia, a fim de se prevenir contra o câncer de mama por meio da detecção precoce.

“Este é um momento de alertar as mulheres sobre a importância de detectar o câncer de mama logo cedo, aumentando as chances de cura. Para dar certo, depende de todos, do Estado, das prefeituras, dos PSFs, da população e, principalmente, de nós mulheres que temos que mudar a consciência e nos cuidar. Eu mesma já fiz a minha mamografia, antes mesmo de entrar no mês da Campanha, pois devemos nos cuidar os 365 dias do ano”, disse Lígia Feliciano.

Segundo Maura Sobreira, a campanha tem um mês de visibilidade, mas a luta é cotidiana, tanto dos servidores da Saúde, quanto das mulheres. “A porta de entrada para o diagnóstico do câncer de mama é a Unidade de Saúde da Família (USF), mas o Estado tem um papel fundamental qualificando os municípios e estruturando a rede de diagnóstico e tratamento. Além do CEDC, que funciona como referência para todo Estado, até o mês de janeiro de 2018, está prevista a abertura do Centro Oncológico de Patos”, ressaltou.

Durante a programação da Campanha, o CEDC oferecerá consultas com mastologistas; ultrassonografias das mamas; ações educativas sobre a importância do autoexame e do exame clínico; atendimento às mulheres privadas de liberdade do Presídio Júlia Maranhão e mamografias para as servidoras do estado. Cada Secretaria se encarregará de repassar para o CEDC a lista com os nomes das mulheres aptas ao exame.

A diretora geral do CEDC, Roseane Machado, lembra que a mamografia de rastreamento é para as mulheres com idade entre 50 e 69 anos, mas alerta que o cuidado da mulher pode ser iniciado a partir da primeira menstruação, com exame clínico uma vez por ano, nas USFs. “Há um ano fui curada de um câncer de mama porque foi descoberto, de forma precoce, por meio do autoexame. Durante o toque, percebi um caroço duro, que ficava no mesmo lugar e não doía. Logo fiz todos os exames e foi detectado que era maligno. Fiz a cirurgia e fiquei bem. Tenho plena consciência de que a minha cura só foi possível graças ao diagnóstico precoce”, confessou.

A auxiliar de serviços gerais Josinalda Simplício, de 51 anos, enfrentou a mesma situação de Roseane. Há um ano descobriu que estava com câncer de mama. Fez a cirurgia e é acompanhada no CEDC. “É muito importante se cuidar logo. Se não fosse isso, talvez eu nem estivesse mais aqui”, reforçou.

O CEDC oferece consultas de ginecologia e mastologia; biópsias (colo uterino, mama, vagina e vulva); punção aspirativa de mama e tireóide; exame anamopatológico em geral; ultrassonografias; exame citopatológico de colo de útero e mama; colposcopia; cirurgia de alta freqüência (CAF) e mamografia. O Centro fica na Av. Beira-Rio, nº 590, em João Pessoa. O telefone é 3218-5369.

Mamografias no estado - Em todo Estado, são 21 mamógrafos disponíveis, sendo 13 públicos e oito privados conveniados pelo SUS. Em 2017, de janeiro a julho, foram realizadas 23.360 mamografias na Paraíba, em mulheres de 50 a 69 anos. Durante todo o ano de 2016, foram 45.489 mamografias.

Óbitos - Na Paraíba, em 2017, até o mês de setembro, foram registrados 109 óbitos, por câncer de mama. Já em 2016, foram 241 óbitos.

Tratamento - Atualmente, os serviços destinados ao tratamento do câncer de mama concentram-se em João Pessoa (Hospital Napoleão Laureano e São Vicente de Paulo) e em Campina Grande (Fundação Assistencial Paraibana - FAP e Hospital Universitário Alcides Carneiro).