Vital propõe políticas de valorização da mulher

Nesta terça-feira (26) de agosto, Dia Mundial da Igualdade Feminina, o candidato a Governador da Paraíba pela Coligação Renovação de Verdade, Vital do Rêgo, destaca que a data foi criada não apenas para celebrarmos a igualdade, mas para refletirmos e lutarmos contra a desigualdade de gênero. Sabedor da importância deste tema, Vital já propôs entre os demais candidatos a realização de debates sobre assuntos de interesse da mulher.

Os debates consistiriam no confronto de ideias onde os candidatos poderiam expor para os eleitores as propostas que pretendem colocar em prática nas mais diversas áreas das políticas públicas de valorização da mulher, sejam elas na saúde, educação, segurança, geração de emprego, mobilidade urbana, habitação, dentre outras áreas de atuação. Assim, assegura Vital o debate ajudaria o eleitor a escolher o governante que irá melhor conduzir os destinos do seu Estado pelos próximos quatro anos. “A consagração da data é o reconhecimento de um longo processo de organização e conscientização das mulheres e de toda a da sociedade, na maior parte do mundo, e de sua luta em busca de equidade. No meu governo mais do que flores, as mulheres terão reconhecimento e respeito”, afirmou Vital.

Conquistas de Vital

Vital, que na condição de senador da República elaborou iniciativas para acabar com a desigualdade entre homens e mulheres no mercado de trabalho brasileiro recepcionou, por diversas vezes, em seu gabinete, em Brasília, representantes da bancada feminina no Congresso Nacional, para reafirmar seu empenho por bandeiras de lutas das mulheres. Ele citou como exemplo a PEC das Domésticas, já transformada em Lei, que assegurou direitos trabalhistas e estabeleceu direitos iguais para todos.

Vital do Rêgo também já defendeu no Congresso a alteração da Lei Maria da Penha (Lei 11.340/2006) para impor pena de detenção de seis meses a dois anos para a autoridade policial que não tomar providências para impedir a agressão e essa omissão resultar em lesão corporal ou morte da vítima.

Isonomia salarial

Ele também associou-se a uma luta nacional encabeçada da deputada federal Nilda Gondim (PMDB-PB) em defesa da PEC que assegura a isonomia salarial entre homens e mulheres, como ao Projeto de Lei 371/11, que prevê tal isonomia salarial entre homem e mulher que exercem a mesma função.

O candidato da coligação Renovação de Verdade também foi autor do projeto de lei que define o crime de desaparecimento forçado (PLS 245/2011) e garantiu, como presidente da Comissão de Constituição Justiça e Cidadania (CCJ), a aprovação do projeto que estabelece o feminicídio como crime de homicídio, dentre outras iniciativas.

Resistência

Para Vital do Rêgo, apesar da resistência de alguns segmentos da sociedade, a mulher está cada vez mais conquistando espaços em diferentes áreas e dando a sua contribuição preciosa para um mundo mais belo, justo e fraterno.

“As mulheres precisam ser respeitadas e valorizadas por todos” disse, reafirmando seu interesse num debate que tenha como tema especifico políticas públicas de valorização da mulher.

Na Paraíba, 13º colégio eleitoral do país, as mulheres são maioria, com 52,74% dos eleitores. Em João Pessoa o poder eleitoral feminino é ainda maior: representa 55,9% do total de votos. Em Patos, as mulheres são 54,96. Em Campina Grande, 54,68%. Em Guarabira, 53,69.

 

 

Ascom